Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Raquel Dodge envia dois acordos de delação ao Supremo

Nomes dos delatores estão em sigilo e delações dependem de homologação na corte

Por Da Redação 20 fev 2018, 20h09

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, enviou ao Supremo Tribunal Federal dois acordos de delação premiada para análise da corte. Segundo informações do Ministério Público Federal, os dois temos, somados, preveem a devolução de R$ 10 milhões. Os nomes dos delatores estão em sigilo. As delações dependem da homologação da Corte.

Segundo a Procuradoria-Geral da República, estes são os dois primeiros acordos assinados na gestão de Raquel. A PGR diz ainda que há outras tratativas em andamento. Outros oito acordos foram ajustados e devolvidos ao Supremo. “Em todos os casos, foi observada a existência de elementos de corroboração satisfatórios e cláusulas ajustadas com os termos da Lei 12.850/13, que trata do instrumento”, afirma.

“Somados, os dois acordos preveem a devolução de cerca R$ 10 milhões aos cofres públicos, em multas e ressarcimento pela prática de crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. Como a legislação estabelece sigilo das delações nesta fase do procedimento, não serão divulgadas informações referentes aos casos e nem aos colaboradores”, afirma o MPF em nota

O órgão disse ainda que, desde setembro do ano passado, atuou e devolveu ao STF, após ajustes e manifestações, outros oito acordos. “As medidas tiveram o propósito de sanar dúvidas suscitadas pelos relatores dos respectivos casos, reiterar pedidos de homologação e reafirmar teses jurídicas”, informou.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade