Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

PT quer votação de denúncia contra Temer no horário nobre da TV

Partidos de oposição acreditam que os deputados da base governista sofrerão um constrangimento maior ao defender o presidente em rede nacional de televisão

Por Da Redação 1 ago 2017, 18h01

O líder do PT na Câmara dos Deputados, Carlos Zarattini (SP), disse nesta terça-feira que seu partido fará o possível para garantir que a votação da denúncia por corrupção passiva contra o presidente Michel Temer (PMDB) ocorra no final desta quarta, próxima ao horário nobre da televisão. A sigla está de olho na audiência da TV Globo e de outras emissoras que transmitirão ao vivo o desfecho da acusação apresentada pela Procuradoria-Geral da República (PGR).

Os índices de audiência das transmissões televisivas costumam aumentar entre o final da tarde e a noite, quando a maior parte das pessoas volta do trabalho. Na avaliação do PT, quanto mais expectadores, maior será o constrangimento e a pressão sobre os deputados governistas que defenderão Temer no plenário da Câmara. Cada parlamentar terá de registrar o seu voto nominalmente. A oposição precisa de 342 votos para dar sequência ao processo contra Temer.

Uma pesquisa do Ibope registrou que 81% dos eleitores querem que os deputados aprovem o prosseguimento da denúncia, com seu encaminhamento ao Supremo Tribunal Federal (STF)O instituto também registrou que 70% ficarão indignados caso os deputados optem pelo arquivamento da acusação. Outros 79% disseram concordar que o parlamentar que votar contra a acusação é cúmplice de corrupção. Para 73% dos eleitores, o deputado que rejeitar a abertura do processo não deve ser reeleito em 2018.

O PT se reuniu na Câmara para fechar uma posição única para a votação. O encontro da bancada do partido ocorreu com a presença da presidente do partido, senadora Gleisi Hoffmann (PR), além dos senadores Humberto Costa (PE) e Lindbergh Farias (RJ).

Rito questionado

Após uma reunião das bancadas da oposição, deputados decidiram que questionarão o rito estabelecido pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), para a votação. Maia disse que quer encerrar a sessão no período da tarde. “Solicitamos uma reunião com Maia. Não dá para fazer um rito resumido. Votar a denúncia à noite é fundamental para que o trabalhador acompanhe”, disse o líder da minoria na Casa, deputado José Guimarães (PT-CE).

Os cerca de quinze deputados do PT, PCdoB, PDT, PSOL e Rede que participaram do encontro afirmaram que o governo está “desesperado” para derrubar a denúncia. A principal preocupação da oposição é que Maia permitiu que a sessão de debates comece com 52 dos 513 em plenário e que essa fase poderá ser interrompida após quatro discursos – dois contra e dois a favor da denúncia – , bastando que um requerimento seja aprovado no plenário.

O grupo de oposicionistas se reunirá novamente à noite para fazer uma nova avaliação no cenário, mas já definiu que não dará quórum durante o dia. “Não vamos dar quórum durante o dia. Esta votação precisa acontecer à noite, depois que trabalhador for para casa”, declarou o líder do PSOL na Câmara, deputado Glauber Braga (RJ).

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)