Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Pacheco quer criar outra liderança para abrigar oposição no Senado

Estrutura, com até 50 cargos abrigará salários que chegam a 17.000 reais

Por Nonato Viegas Atualizado em 7 fev 2021, 17h43 - Publicado em 7 fev 2021, 17h34

Presidente do Senado, o senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG) quer colocar o mais breve possível em votação no plenário da Casa uma resolução que cria a Liderança da Oposição. Atualmente, a liderança que reúne os senadores contrários à gestão de Jair Bolsonaro é a da Minoria, hoje liderada pelo petista Jean Paul Prates (RN). A articulação é para que a nova função seja ocupada pelo senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

A medida amplia a capacidade política de articulação da oposição no Senado, aumentando, por exemplo, a sua participação no colégio de líderes e permite que um novo líder possa orientar sua bancada em votações ou anunciando a sua obstrução. Mas a vantagem não se restringe aos encaminhamentos políticos. O novo gabinete, seguindo as regras atuais, poderá abrigar até 50 comissionados, com salários que variam de 2.936,70 reais a 17.319,31 reais.

Durante seu primeiro discurso como presidente do Senado, Pacheco tocou no assunto, afirmando que a liderança vai “equilíbrar as forças” no Senado. Embora nem sempre atuem conjuntamente, as lideranças da Maioria e do Governo normalmente votam de acordo com os interesses do Executivo contra apenas uma que reúne as forças de oposição, a da Minoria.

Publicidade