Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Os recados de Jair Bolsonaro aos seus apoiadores no Dia das Mães

Após se aglomerar com multidão, presidente falou que o exército "jamais" irá para as ruas para manter pessoas em casa e defendeu o voto auditável

Por Da Redação 9 Maio 2021, 14h03

Na manhã deste domingo, 9, o presidente Jair Bolsonaro participou em Brasília de um ato com apoiadores motociclistas em homenagem ao Dia das Mães. Após cumprimentar as pessoas em meio à multidão e sem máscaras, Bolsonaro discursou às mulheres e criticou indiretamente os lockdowns realizados para evitar a propagação da Covid-19. “Esse passeio é uma demonstração não política, [mas] de amor à pátria, de todos aqueles que querem paz, tranquilidade e liberdade acima de tudo. O nosso exército são vocês, o que vocês determinarem nós faremos. Afinal de contas o nosso povo é unido, é cristão, é trabalhador e quer o melhor para sua pátria”, disse ele.

Bolsonaro disse ainda que o exército não será utilizado para controlar a circulação de pessoas em meio à pandemia, se referindo a governadores e prefeitos que fiscalizaram aglomerações para conter a disseminação da Covid-19. “Podem ter certeza, como chefe supremo das forças armadas, jamais o meu exército estará nas ruas para mantê-los dentro de casa. Vocês motociclistas, amantes do asfalto, amantes da liberdade, sabemos que não existe nada mais sagrado para um homem e uma mulher do que garantir e ter a sua liberdade”, disse ele.

O general Walter Braga Netto, chefe da Casa Civil, complementou a fala de Bolsonaro com o cuidado de enfatizar a preservação do Estado Democrático de Direito “Estejam certos de que as forças armadas estão prontas para defender a Constituição, operando sempre dentro do que está previsto nas quatro linhas estabelecidas”.

Ao lado da deputada federal Bia Kicis (PSL-DF), Bolsonaro defendeu ainda o “voto auditável” e afirmou que “com toda certeza nós aprovaremos isso no parlamento e podemos sim uma maneira de auditar os votos para as eleições de 2022. Ganhe quem ganhar, mas […] a contagem deve ser de conhecimento de todos e auditada”, disse ele.

Continua após a publicidade
Publicidade