Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Os petardos do ex-presidente do PT José Genoino

Depois de um longo período de ostracismo, ex-deputado abre encontro do partido, tenta resgatar influência de outrora e dispara críticas em várias direções

Por Hugo Marques Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
10 dez 2023, 22h03

O ex-deputado José Genoino permaneceu quase duas décadas no ostracismo. Condenado por corrupção ativa no escândalo do mensalão, ele deixou a cadeia em 2014,  se afastou da vida pública e manteve um certo silêncio. Com a vitória do presidente Lula no ano passado, o petista quer voltar a ter a influência de outrora nos rumos do partido. Na última sexta-feira, ele abriu um encontro do PT em Brasília destinado a discutir estratégias para as eleições municipais do ano que vem.

No estilo metralhadora giratória que marcou seus sete mandatos parlamentares, Genoino há alguns meses vem disparado petardos em várias direções. Recentemente, criticou a aliança do governo com o Centrão. O petista afirma que Lula está “cedendo demais” e que o governo deveria criar outra correlação de forças no Congresso. “Eu acho que o governo empoderou demais o presidente da Câmara, Arthur Lira”, diz Genoino. “Você bota todos dentro do governo, mas ninguém se compromete a defender o governo, como é que é isso? Nós temos que fazer uma aliança pontual, mais qualificada, mais definida”.

O ex-deputado ressalta o fato de Lula ter demitido três mulheres do governo para entregar o cargo delas ao Centrão. “A minha crítica ao governo na relação com o Centrão é que ele não está polarizando, não está enfrentando, isso eu acho que é ruim. Na medida que você não enfrenta, a volúpia só aumenta por parte do Centrão, porque eles querem tudo”, diz.

O perigo de uma aliança com o Supremo

Outro alvo da metralhadora de Genoino é o Supremo Tribunal Federal. Ele acredita que o presidente Lula não vai colher bons frutos no que chama de ‘aliança’ com a Corte. “O Lula tende a fazer, pelo menos até agora, uma certa aliança com o Supremo. Isso é perigoso. Ele pode ter uma boa conversa com o Supremo, mas não deve ter ilusão, porque amanhã o Supremo pode dar o troco, numa situação de crise, e a gente já viveu isso”.

A Procuradoria-Geral da República também é alvo das preocupações do petista. “As nomeações que o Lula fez para a PGR, todas elas, nós cometemos erros graves, porque foi a partir da lista tríplice. Uma corporação elabora a lista tríplice e você bota um procurador que passa a ter um superpoder, inclusive para julgar o presidente da República. E o poder que emana do povo, da soberania popular, como é que fica?”, disse Genoino. “Eu espero que o Lula acerte na indicação do Procurador-Geral da República”. As entrevistas do ex-presidente do PT, vale ressaltar, são sempre concedidas a blogs e sites simpáticos ao partido.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.