Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Oposição vai cobrar explicações de Cabral sobre uso de helicópteros do governo

Governador do Rio vai trabalhar todos os dias de aeronave. Nos fins de semana, a mulher, os filhos, as babás e até o cachorro da família são transportados em um dos helicópteros do governo

Por Pâmela Oliveira, do Rio de Janeiro 7 jul 2013, 16h43

A revelação de detalhes das viagens do governador Sérgio Cabral (PMDB-RJ) em helicópteros do governo do estado, publicada em VEJA desta semana, indignou a população do Rio e políticos de oposição. O deputado Luiz Paulo Corrêa da Rocha (PSDB), que já presidiu a Comissão de Transportes da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) e é especialista no tema, pedirá que o Ministério Público Estadual investigue os abusos do governador do Rio.

O presidente da Comissão de Direitos Humanos da Alerj, deputado Marcelo Freixo (PSOL), afirmou ao site de VEJA que vai se reunir com advogados, nesta segunda-feira, para estudar medidas jurídicas para coibir o que classificou como “descaso com o bem público”. Freixo vai propor a outros deputados a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) na Alerj, mas terá que esperar o fim do recesso da casa, em agosto, para começar a coletar as assinaturas necessárias.

Conforme noticiou VEJA, o governador do Rio usa helicópteros do governo do estado todos os dias para trabalhar, ainda que a distância entre seu apartamento e o Palácio Guanabara, ambos na Zona Sul do Rio, seja de apenas 10 quilômetros – e de 7 a que separa o palácio do heliporto. O voo tem duração de três minutos, mas custa caro aos cofres do estado – 3,8 milhões anuais, segundo estimativa.

“As regras para o uso de viaturas oficiais são claras. É preciso ser funcionário público. Estar a serviço do estado e respeitar a previsão constitucional da razoabilidade. É razoável o governador se deslocar diariamente em um trecho de sete quilômetros, no perímetro urbano, de helicóptero? Na minha opinião não é”, afirmou Corrêa da Rocha.

A reportagem de VEJA mostrou ainda que um dos sete helicópteros do estado – um Agusta AW 109, comprado em 2011 por 9.732.934 dólares (o equivalente a 15.233.015 reais, à época) – é usado todo fim de semana pela família do governador. Toda sexta-feira, o luxuoso helicóptero – considerado uma limusine do ar – leva a mulher do governador, Adriana Ancelmo, os filhos, as babás e o cachorro da família para Mangaratiba, onde Cabral tem uma mansão. Sábado, a aeronave leva o governador. Domingo, o “helicóptero da alegria”, como chamam os pilotos, faz duas viagens, uma delas apelidada de “voo das babás”.

“Usar um helicóptero oficial, pago com dinheiro público para levar a mulher, filho, babá e cachorro para mansão, em Mangaratiba, é inadmissível. Isso faz mal à democracia. Ele tem a certeza da impunidade”, afirma Freixo, que verificará se os abusos com viaturas oficiais são qualificados como improbidade ou peculato. “Não tenho dúvidas que se trata de crime. Ele é o nome mais criticado nas passeatas que têm mobilizado o Rio, mas se recusa a ouvir a voz das ruas.”

A deputada Janira Rocha (PSOL) pedirá à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) a relação de todos os passageiros que utilizam os helicópteros do governo do estado do Rio.

Leia mais sobre as viagens do governador

Continua após a publicidade

Publicidade