Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Novo pedido de liberdade de Lula é negado no STJ

Ministro Felix Fischer alegou aspectos técnicos do processo para rejeitar habeas corpus; defesa de ex-presidente pode contestar decisão

O ministro Felix Fischer, relator da Operação Lava Jato no Superior Tribunal de Justiça (STJ), rejeitou um habeas corpus do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), preso desde o dia 7 de abril em razão de sua condenação na Operação Lava Jato por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do tríplex do Guarujá.

Lula já teve um pedido de liberdade negado em caráter liminar um dia antes de começar a cumprir sua pena. Segundo o ministro Felix Fischer, o caminho processual era que o habeas corpus fosse julgado no mérito pela 5ª Turma do STJ, mas ele entendeu que o pedido da defesa do ex-presidente está agora prejudicado. De acordo com a decisão, o processo só deve ser levado à turma se a defesa do petista entrar com um recurso (agravo de instrumento), questionando a decisão do relator.

Quando a liminar da ação foi julgada, o pedido ainda era “preventivo”, já que a prisão de Lula ainda não tinha sido efetivada. Os advogados do petista pediam que fosse concedida liminar para suspender execução provisória da pena até que o julgamento de mérito do habeas corpus fosse realizado.

Ao negar a liminar, em abril, Fischer disse que estava faltando documentação para comprovar que ainda não havia sido concluído o prazo para a apresentação de um novo recurso no Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF4).

Relator

Felix Fischer foi o relator original do primeiro pedido preventivo de liberdade de Lula feito ao STJ ao fim de janeiro. Mas, em razão do recesso, a decisão que negou aquele habeas corpus liminarmente foi do vice-presidente do tribunal, Humberto Martins.

Fischer relatou o processo de Lula quando a 5ª Turma do STJ precisou enfrentar o mérito do pedido do ex-presidente. Lá, em 6 de março, os cinco ministros da turma negaram, unanimemente, o habeas corpus do ex-presidente.

Na semana passada, a 2ª Turma do Supremo Tribunal Federal (STF), negou por unanimidade, em julgamento no plenário virtual, um pedido de liberdade do petista. A defesa de Lula agora se concentra nos recursos especial e extraordinário, julgados respectivamente no STJ e no STF. Eles foram apresentados ao TRF4, responsável pela admissão dos recursos nas cortes superiores.

Na última quarta-feira, 9, logo depois de a 2ª Turma do STF formar maioria contra o recurso de Lula, o ex-ministro Sepúlveda Pertence, advogado de defesa do petista, destacou a análise dos recursos especial e extraordinário. “Vamos continuar a luta agora nos recursos especial e extraordinário, que permitirão ao Supremo um exame mais concreto e substancioso do processo”, comentou Sepúlveda na ocasião.

(com Estadão Conteúdo)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Interessante, pode ficar tentando habeas corpus indefinidamente. A lei é pra todos, mas será q o joãozinho das couves teria essa possibilidade???

    Curtir

  2. Mas…ainda não desistiram? Perda de tempo. Podem jogar dezenas de habeas corpus, Lula foi condenado. Mesmo, não tem jeito.

    Curtir

  3. Sei lá, mas isto parece com aqueles correios indesejados que recebemos, o SPAM. Pode não atrair ninguém, mas um sempre cai. No caso desta besta fera, basta uma vírgula diferente para ser interpretado, também, diferente.

    Curtir

  4. Mauro Persona

    E o meliante segue preso! KKKKKKKKKKK

    Curtir

  5. Francisco DE ASSIS BATISTA SANTOS

    Tem mais uma chegando(DO SÍTIO DE ATIBAIA).

    Curtir

  6. Este patife criminoso quer estar acima da lei. Por aí se vê o compromisso dele com valores republicanos e democráticos. Já devia estar preso há muito tempo.

    Curtir