Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Manifesto pela união do centro é lançado só com carta de FHC

Esvaziado, evento na Câmara dos Deputados não contou com a presença de nenhum presidenciável

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) afirmou nesta terça-feira (5) em mensagem lida durante o lançamento de um manifesto pela união dos partidos de centro, que as eleições deste ano representam a chance de recuperar a “legitimidade democrática” no país. O manifesto foi lançado na Câmara, em um evento esvaziado e sem a presença de nenhum pré-candidato à Presidência. O próprio tucano não compareceu.

“As eleições de outubro serão um divisor de águas na história do país. As lideranças políticas precisam enxergar que está em jogo a recuperação da legitimidade democrática da autoridade política ou a desorganização política, econômica e social do Brasil”, disse a mensagem de FHC, sem mencionar o nome do presidente Michel Temer, que chegou ao poder em 2016 após o impeachment de Dilma Rousseff (PT).

O ex-presidente afirmou que o Brasil precisa recuperar a confiança no futuro e que não será possível chegar lá “voltando ao passado do autoritarismo ou ao passado mais recente do lulopetismo”. “O manifesto é um chamado à consciência sobre a gravidade do momento atual e sobre as consequências profundas e duradouras que terão nossas ações e inações”, disse o tucano, que não compareceu ao evento.

O manifesto tem nomes de 30 intelectuais e políticos do PSDB, MDB, PSD, PPS, PV e PTB, mas o lançamento foi prestigiado só por lideranças dos quatro primeiros partidos. Dos 19 políticos presentes, a maioria (13) era do PSDB, legenda que tem o ex-governador Geraldo Alckmin como presidenciável.

O documento divulgado traz como apoiadores políticos do DEM, mas integrantes da sigla negam que tenham assinado o manifesto. “Participamos das reuniões de discussão, mas não assinamos em respeito à candidatura do Rodrigo Maia“, disse o deputado Mendonça Filho (DEM-PE). Além do nome dele, o documento trazia como apoiadores os deputados do DEM José Carlos Aleluia (BA) e Heráclito Fortes (PI), na casa de quem foram feitas algumas das discussões sobre o manifesto. O deputado Marcus Pestana (MG), secretário-geral do PSDB e principal articulador do manifesto, por sua vez, garante que os parlamentares do DEM assinaram o documento.

“Não queremos substituir a iniciativa e o protagonismo dos pré-candidatos, que são os maiores atores. Queremos nos restringir ao papel de fermento”, afirmou Pestana. “Não estamos criando arqui-inimigos, estamos definindo posições. Se vai ter a unidade de apenas um candidato, isso só o processo vai dizer”, disse o presidente do PPS, Roberto Freire.

No manifesto, eles apresentaram 17 propostas para o país. Entre as medidas, estão reformas da Previdência, com adoção de um sistema único para servidores e trabalhadores da iniciativa privada, e tributária, sem aumento de impostos. Também pregam a manutenção do Bolsa Família, mas “recuperando seu caráter educacional”.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. José Olímpio Castro

    A maldição que o Brasil está sofrendo começou com FHC. Maldito.

    Curtir

  2. Ataíde Jorge de Oliveira

    +
    FhÇ
    TraGanD@*$empre!
    $em FuMaR
    &/OU
    ViÇe-VeR$$Aªªª 😮

    Curtir

  3. Democrata Cristão (Liberdade de Expressão é meu direito CF 88 art 5 e art 220)

    Em 1993 FHC disse a empresários “esqueçam tudo o que eu escrevi” e privatizou muitas empresas. Agora ele quer a união das esquerdas? Santo Antonio Gramsci!

    Curtir

  4. Petrobras:
    Para De Dar Propina Para
    Globo
    Travestida De Publicidade
    Vagabundas E Vagabundos

    Curtir

  5. joao pereira de oliveira

    Só faltou o PT, para que o conluio partidário que FHC está propondo, para que o pais seja mais sorrupiado, porque esses partidos não merece credito nenhum, são um bando de corruptos, sociedade abra os olhos, só nós podemos mudar.

    Curtir

  6. Pablo Allves

    Não tem ilegalidade nenhuma nisso em 2010 esses pedidos eram normais eu confio em FHC eu confio no Geraldo Alckmin, confio pois sei de sua lisura.

    Curtir

  7. Marcia Candido

    Eu acho que o centro deve sim se unir e lançar uma única candidatura, que deve ser a do Geraldo Alckmin. Ele tem capacidade de negociação, diálogo político, experiência com gestão fiscal e idéias claras para trabalhar a frente do país.

    Curtir

  8. Geraldo tem preparo e projeto. Tenho certeza que irá mostrar nas campanhas que é o candidato mais preparado.

    Curtir