Clique e assine a partir de 8,90/mês

Lula deve ser julgado pelo sítio no 2º semestre, diz presidente do TRF4

Segundo chefe do tribunal de 2ª instância, os processos da Lava Jato estão em dia e não há razão nenhuma para atropelar ou para retardá-lo

Por Da Redação - Atualizado em 26 jun 2019, 16h28 - Publicado em 26 jun 2019, 16h09

Responsável pelos julgamentos da Lava Jato no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), a 8ª Turma da Corte pode julgar o processo que envolve o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva referente ao sítio de Atibaia (SP) até o fim do ano. A previsão foi dada pelo presidente do colegiado, desembargador Leandro Paulsen. Reservado diante a imprensa, o magistrado quebrou silêncio e afirmou que os processos da força-tarefa estão praticamente em dia no TRF4.

“Não temos razão nenhuma para atropelar ou para retardar. Será no tempo adequado, assim que nós nos sentirmos seguros, após a análise do processo como um todo, nós levaremos a julgamento. É possível que ocorra no segundo semestre deste ano, dependendo de o processo estar pronto para ser julgado”, declarou Paulsen.

Em primeira instância, a juíza federal substituta Gabriela Hardt sentenciou Lula a doze anos e onze meses de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro, em fevereiro. O processo do sítio chegou à 8ª Turma em 15 de maio. Paulsen esteve presente na sessão realizada na Câmara Municipal de Porto Alegre, na noite desta terça, 25, que homenageou o presidente do TRF4, desembargador Thompson Flores como cidadão emérito de Porto Alegre.

Sobre as recentes publicações envolvendo o então juiz Sergio Moro e os procuradores da Lava Jato, Paulsen questionou o vazamento de supostas conversas sigilosas, mas reconheceu que é necessário garantir a liberdade de imprensa.

“É uma pena que estas conversas, que são privadas entre agentes públicos, estejam vazando e sendo exploradas da maneira como são. De qualquer maneira eu tenho muito claro que temos que preservar a liberdade de imprensa. Acima de tudo, o direito da população brasileira a ser informada”, afirmou. O desembargador também garantiu “absoluta lisura” do TRF-4 e assegurou não haver temor algum de que surjam citações envolvendo os magistrados na corte em eventuais reportagens.

Questionado se imagem de Moro ficou arranhada perante à opinião pública, após as reportagens do The Intercept Brasil, Paulsen referendou a intenção do presidente Jair Bolsonaro de indicá-lo para uma eventual vaga no Supremo Tribunal Federal (STF).

“Ele é uma pessoa que, até agora, pelo que se sabe, pelas informações que se tem, por todo o seu histórico, é uma pessoa com absoluta probidade. É uma pessoa capaz, um jurista que realmente tem conhecimento consolidado. Então, a mim parece que ele realmente tem todas as condições para ocupar uma cadeira da mais alta Corte do país”, finalizou.

(com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade
Publicidade