Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Lava Jato coloca políticos na ‘lista negra’ dos bancos

Instituições estão restringindo o crédito e fiscalizando com mais rigor as contas-correntes de políticos investigados pela operação

Por Thiago Bronzatto Atualizado em 3 dez 2017, 16h57 - Publicado em 3 dez 2017, 07h00

Graças ao foro privilegiado, os políticos envolvidos na Lava Jato se mantêm longe da cadeia, mas não escapam de enfrentar situações embaraçosas. A última delas tem afetado diretamente a vida financeira dos parlamentares. Alguns, depois de se tornar alvo de delações premiadas, passaram a encontrar dificuldades para operar ou abrir contas bancárias e também para obter empréstimos. Isso porque os bancos começaram a restringir suas respectivas carteiras de clientes especiais — “pessoas politicamente expostas”, assim chamados os deputados, senadores, presidentes de partido e seus familiares. Com isso, os bancos aumentaram o rigor da fiscalização sobre os nomes citados na maior investigação de corrupção na história do país. Esse procedimento, inédito, tem incomodado.

Assine agora o site para ler na íntegra esta reportagem e tenha acesso a todas as edições de VEJA:

Ou adquira a edição desta semana para iOS e Android.
Aproveite: todas as edições de VEJA Digital por 1 mês grátis no Go Read.

Continua após a publicidade

Publicidade