Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Exército e Marinha ocuparão Complexo da Maré neste sábado

Operação levará 2.500 homens das Forças Armadas ao conjunto de 15 favelas próximas das linhas Vermelha e Amarela. Pelo Twitter, Dilma elogia militares

Na véspera da ocupação pelas Forças Armadas do Complexo da Maré – prevista para as primeiras horas da manhã deste sábado -, equipes do Exército percorreram, nesta sexta-feira, trechos das 15 favelas que integram o conjunto, na Zona Norte. Um caminhão com sete militares circulou pela Vila dos Pinheiros, uma das favelas atualmente ocupadas por policiais militares do Batalhão de Choque e do Batalhão de Operações Especiais (Bope).

A partir deste sábado, as Forças Armadas vão atuar na região com 2.500 militares do Exército e da Marinha, segundo decreto de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) assinado pela presidente Dilma Rousseff – a partir de uma solicitação do ex-governador Sérgio Cabral. Serão 2.050 homens da Brigada de Infantaria Paraquedista do Exército e 450 fuzileiros navais da Marinha. Darão apoio à ação 200 policiais militares do Rio, totalizando 2.700 homens na ocupação, batizada de “Operação São Francisco”.

Leia também:

Sérgio Cabral deixa o governo do Rio pela porta dos fundos

Estado investiga sumiço de 250 armas de presídios do Rio

Devido à maior complexidade da operação na Maré, o número de militares que atuarão na região será cerca de 40% maior do que o utilizado na Força de Pacificação dos complexos do Alemão e da Penha, entre 2010 e 2012. Naquela ocasião, a tropa tinha cerca de 1.800 militares (apenas do Exército). “A Maré tem área e população maiores que os complexos do Alemão e da Penha. Além disso, atuam na Maré três organizações criminosas”, explicou o general de Brigada Ronaldo Lundgren, chefe do Centro de Operações do Comando Militar do Leste (CML).

Governo – A presidente Dilma Rousseff (PT) usou sua conta pessoal no microblog Twitter para afirmar que as Forças Armadas “mais uma vez demonstram seu compromisso” com o País. Dilma também destacou o papel dos militares ao prestar ajuda a populações afetadas por enchentes em Rondônia e no Acre. “A partir de amanhã, as Forças Armadas vão atuar com a PM (Polícia Militar) do Rio na pacificação do Complexo da Maré”, afirmou Dilma, ressaltando que os militares ajudarão a preservar a segurança dos moradores da região.

“As Forças Armadas mais uma vez demonstram seu compromisso com a nação em duas importantes ações em curso no País ao dar integral suporte à segurança pública e a pacificação da Maré no Rio de Janeiro e ao dirigir e coordenar o apoio às populações que sofrem com o isolamento pelas enchentes em Rondônia e Acre”, prosseguiu a presidente.

Leia também:

Na Maré, a vida termina às três da tarde

Enquanto governo comemorava triunfo na Maré, policiais eram encurralados no Alemão

O Brasil precisa de uma nova polícia