Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Empreiteiro se reuniu três vezes com Gim Argello para negociar pagamento por blindagem na CPI

Por Da Redação - 12 abr 2016, 11h00

Investigadores da Operação Lava Jato conseguiram mapear pelo menos três encontros, entre maio e junho de 2014, entre o dono da UTC Engenharia Ricardo Pessoa e o então senador Gim Argello (PTB-DF). Em todos eles, a pauta era uma só: como garantir que o empresário não tivesse de dar explicações na CPI mista da Petrobras e, de quebra, conseguisse manter intactos seus sigilos bancário, fiscal e telefônico. A estratégia de blindagem começou a ser consolidada em 28 de maio daquele ano, data da instalação da CPI. Às 15h13, Ricardo Pessoa telefona para o senador para evitar a convocação. Na sequência, três encontros foram agendados com o parlamentar na própria casa dele, na Península dos Ministros, em Brasília, para negociar o pagamento de dinheiro sujo. Em 18 de junho de 2014, uma quarta-feira, Ricardo Pessoa anotou em sua agenda o compromisso: “GIM, QL 12 conj 0, casa 8”. (Laryssa Borges, de Brasília)

Leia mais:

PF deflagra 28ª fase da Operação Lava Jato e prende ex-senador Gim Argello

Lava Jato: Procurador diz que Gim Argello usou CPI para cometer crimes: “Foi uma corrupção ao quadrado”

Publicidade