Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Doria estuda reajuste parcial nas tarifas de ônibus

A declaração do reajuste contraria a promessa de não mexer nas tarifas de ônibus que o prefeito eleito fez logo após vencer as eleições na capital paulista

O prefeito eleito João Doria (PSDB) já estuda promover um reajuste “parcial” da tarifa de ônibus de São Paulo no primeiro ano de gestão, em 2017. A equipe do tucano considera aumentar a passagem para um valor intermediário entre os atuais 3,80 reais e os projetados 4,40 reais, segundo a edição desta sexta-feira do jornal Folha de S. Paulo.

A intenção é repassar aos usuários apenas os valores gastos pela prefeitura para cobrir benefícios e gratuidades. Ao mesmo tempo, Doria pretende abrir uma discussão pública para rever tais gratuidades, que beneficiam hoje vários grupos e que foram ampliadas nos últimos anos, durante a gestão Fernando Haddad (PT), como a estudantes de baixa renda e idosos com mais de 60 anos.

LEIA TAMBÉM:
Doria se reúne com Haddad para definir futuro de Interlagos
Doria anuncia novos secretários de Meio Ambiente e Esportes

A declaração do reajuste contraria a promessa que fez logo após vencer as eleições na capital paulista. Em 3 de outubro, dia seguinte à vitória no primeiro turno, Doria afirmou em entrevista: “Não vamos mexer na tarifa [de ônibus] no primeiro ano”. Naquela mesma semana, declarou: “A decisão está tomada, não vai mudar”.

Após a análises, os técnicos da equipe de Doria concluíram que os custos adicionais para manter a tarifa congelada em 2017 chegariam a 1,25 bilhão de reais, um valor suficiente para construir mais de 30 km de corredores exclusivos para ônibus. Na prática, isso significaria elevar em mais de 50% os subsídios ao sistema, hoje já em patamar acima de 2 bilhões de reais ao ano.

O subsídio é o dinheiro repassado pela prefeitura às viações de ônibus para cobrir a diferença entre o que os passageiros pagam e os custos reais dos serviços prestados.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Que beleza! O Riquinho já começou a agradar os seus amigos empresários. O que ele disse sentado não se mantém em pé. Agora vai ficar muito mais difícil ele tomar um ônibus para ir comer coxinha e abraçar pobre a periferia.

    Curtir

  2. Marco Ferrari

    ele não tem que aumentar nada ,tem que cortar gastos e subsidios da prefeitura.

    Curtir