Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Delator relata cobrança de Eunício: ‘Isso tem custo de 5 milhões’

Ricardo Saud, executivo da JBS, diz que o presidente do Senado pediu o dinheiro para alterar uma medida provisória de interesse de um grupo de frigoríficos

Por Hugo Marques Atualizado em 19 Maio 2017, 18h05 - Publicado em 19 Maio 2017, 14h12

O delator Ricardo Saud, diretor da JBS, narrou o pagamento de 5 milhões de reais ao atual presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), para modificar uma medida provisória (MP) em benefício de um grupo de frigoríficos, nos anos de 2012 e 2013.

Segundo Saud, a MP tratava de créditos presumidos de PIS e Cofins para o setor.  Do jeito que estava redigida, disse o delator, a MP iria privilegiar uma empresa falida da região Sul, que receberia 100 milhões de créditos presumidos de PIS e Cofins, mas ele foi a Eunício com representantes da associação do setor para alterar o texto de maneira que outras empresas, a JBS entre elas, se beneficiassem financeiramente.

Conforme a versão de Saud, ao ser procurado para tratar do assunto, Eunício disse que a alteração na medida provisória teria um custo. “Ele falou: ‘Olha Ricardinho, isso aí você sabe, tem um custo aí. Vamos fazer um custo aí de uns 5 milhões. Isso aí é muito pouco'”. Saud conta que o dinheiro foi pago, conforme combinado com Eunício, que era o então relator da MP. “Pagamos direitinho, fizemos doações doações simuladas oficiais para ele, que ele era o tesoureiro do PMDB”.

O delator apresentou durante seu depoimento todos os recibos de pagamentos. Mas disse que, mesmo pagando os 5 milhões de reais, os empresários que arcaram com os custos da propina levaram um tombo de Eunício. “Oito meses depois ele foi relator de outra medida provisória e voltou atrás (revogou o benefício).

Em nota, Eunício Oliveira afirma que não recebeu doações eleitorais do grupo JBS em 2013 e que os valores recebidos em 2014 foram todos declarados à Justiça Eleitoral. O presidente do Senado classifica os diálogos narrados por Saud como “imaginários” e “mentirosos”. “O senador Eunício Oliveira não usa e nunca usou suas funções legislativas para favorecer empresas públicas ou privadas”, afirmou o peemedebista.

Assista aqui:

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)