Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Coalizão do governo está ‘capenga’, diz Renan

Presidente do Senado criticou a relação entre o Palácio do Planalto e o Congresso Nacional; cúpula do PMDB se reuniu com equipe econômica

Por Da Redação 24 fev 2015, 12h02

A crise na articulação política do governo com o Congresso Nacional parece estar longe de um desfecho positivo. Nesta terça-feira, foi a vez do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), reclamar da relação entre o Palácio do Planalto e o Legislativo: nas palavras do peemedebista, a coalizão governista “está capenga”.

A queixa foi feita um dia depois do jantar realizado no Palácio do Jaburu, residência oficial do vice-presidente da República, Michel Temer, que teve a presença de integrantes da equipe econômica do governo e do ministro-chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante.

No encontro, a cúpula peemedebista afirmou aos integrantes do governo que não é chamada a participar das principais discussões do Executivo, sendo acionada apenas nos momentos de dificuldade. “O PMDB quer dar um fundamento à coalizão, quer participar da definição das políticas públicas. Essa coalizão, ela é capenga porque o PMDB, que é o maior partido, do ponto de vista da coalizão, ele não cumpre o seu papel”, afirmou Renan, na chegada ao Senado nesta manhã.

Leia também:

Em jantar com Levy, PMDB indica apoio a pacote fiscal

“O ajuste tem de cortar no setor público, a sociedade não entenderá se só a população mais pobre pagar a conta”, afirmou.

Numa referência indireta ao PT, o presidente do Senado disse que não se pode ter um governo de um partido hegemônico ao mesmo tempo em que o maior partido do Congresso, o PMDB, seja parte da coalizão sem ter “papel na definição das políticas públicas”.

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade
Publicidade