Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Bolsonaro faz ‘motociata’ e passeio de helicóptero com apoiadores no Rio

Presidente discursou em carro de som ao lado do ex-ministro Eduardo Pazuello - os dois estavam sem máscara e geraram aglomerações

Por Redação
Atualizado em 23 Maio 2021, 14h52 - Publicado em 23 Maio 2021, 12h27

O presidente da República, Jair Bolsonaro, fez neste domingo, dia 23, uma passeata com centenas de motociclistas no Rio de Janeiro. Após sobrevoar a cidade de helicóptero, Bolsonaro foi de motocicleta da Zona Oeste à Zona Sul do Rio, acompanhado de uma comitiva de apoiadores. Depois, subiu em um carro de som, onde discursou ao lado do ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello – os dois não utilizavam máscaras e geraram aglomerações.

O ato conta com o apoio de mil policiais militares mobilizados pelo governo de Cláudio Castro (PSC), aliado do presidente. Vestidos com jaquetas de moto-clubes e camisetas do Brasil, parte dos apoiadores do presidente gritam palavras de apoio a “Bolsonaro 2022” e pela “liberação” de medicamentos sem comprovação científica para o tratamento da Covid-19.

No fim da “motociata”, já na Zona Sul do Rio, o presidente discursou contra as medidas de isolamento.  Referindo-se ao Exército como seu, Bolsonaro disse que a tropa não iria para as ruas para manter os brasileiros em casa. “O meu Exército Brasileiro jamais irá à rua para manter vocês dentro de casa. O meu Exército Brasileiro, a nossa PM e a nossa PRF. É obrigação nossa lutar por liberdade, democracia. O nosso exército são vocês. Mais importante do que o Poder Executivo, Legislativo e Judiciário é o povo brasileiro”, disse.

Bolsonaro afirmou que o governo está pronto para “garantir a liberdade” dos brasileiros, mas explicou que a frase não significava uma ameaça.”Estamos prontos, se preciso for,  para tomar todas as medidas necessárias para garantir a liberdade de vocês. Temos o sagrado direito de ir e vir”, declarou o presidente, completando: “Não é ameaça, jamais ameaçarei qualquer Poder. Mas, acima de nós, de qualquer Poder, há o primeiríssimo poder, que é o do povo brasileiro”.

Continua após a publicidade

O presidente ainda criticou as medidas de isolamento que governadores e prefeitos adotaram para frear o contágio do coronavírus, na contramão do que ele defende. Desde o início da pandemia, Bolsonaro tem incetivado e participado de aglomerações como a deste domingo.

“Muitos governadores e prefeitos simplesmente ignoraram a maioria da população brasileira e sem qualquer evidência científica decretaram lockdown e toques de recolher. Hoje, vocês sabem o que é uma democracia e o começo de uma ditadura implantada pelos governadores”, discursou o presidente que, antes, havia falado sobre os óbitos provocados pela Covid-19. “Lamento cada morte, não importa a motivação da mesma. Mas temos que ser fortes e enfrentar o desafio. Ver e sobreviver”. Ao todo, o país já registra 448 mil mortes pelo novo coronavírus.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.