Clique e assine a partir de 9,90/mês

Bolsonaro diz que testou negativo para o coronavírus

Também deram negativos os testes feitos com a primeira-dama Michelle Bolsonaro, a filha caçula do presidente, Laura, e o ministro General Heleno

Por Da Redação - Atualizado em 13 mar 2020, 13h45 - Publicado em 13 mar 2020, 12h42

O presidente Jair Bolsonaro afirmou no início da tarde desta sexta-feira, por meio de seus perfis no Twitter e no Facebook, que não foi infectado pelo novo coronavírus. Segundo ele, exames feitos pelo Hospital das Forças Armadas e pelo laboratório Sabin atestaram negativo para a doença.

Havia a suspeita de que o presidente pudesse ter sido infectado uma vez que ele esteve no mesmo voo e manteve contato com o secretário de Comunicação da Presidência da República, Fábio Wajngarten, que está infectado, durante viagem aos Estados Unidos nesta semana.

Nas postagens, o presidente posta uma foto dele dando uma “banana”. A cena retratada ocorreu durante uma conversa de Bolsonaro com jornalistas em frente ao Palácio da Alvorada – foi a segunda vez que ele fez o gesto para a imprensa.

Continua após a publicidade

– HFA/SABIN atestam negativo para o COVID-19 o Sr. Pres. da República Jair Bolsonaro

Posted by Jair Messias Bolsonaro on Friday, March 13, 2020

A primeira-dama Michelle Bolsonaro, a filha caçula da família, Laura, de 9 anos, e o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) também passaram por testes e tiveram resultado negativo, assim como o general Augusto Heleno, ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional. Todos estavam no voo presidencial para os Estados Unidos.

Desde que Wanjgarten foi testado positivo para o coronavírus, integrantes da comitiva presidencial que estiveram nos Estados Unidos passaram por exames (veja a lista completa abaixo).  Em live transmitida pelo Facebook na noite desta quinta-feira, 12, o presidente afirmou que um dos integrantes tinha testado negativo para a doença, sem especificar de quem se tratava.

Na mesma live, em que apareceu com máscara ao lado do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, Bolsonaro recomendou o adiamento das manifestações convocadas pelos movimentos que o apoiam para este domingo, 15, em todo país. A mesma recomendação foi dada em pronunciamento feito em rede nacional pouco tempo depois da transmissão no Facebook – nessa fala intercalou a recomendação de cautela e a exaltação dos atos que estavam previstos para 15 de março. “Nossa saúde e de nossos familiares devem ser preservados. O momento é de união, serenidade e bom senso. Não podemos esquecer, no entanto, que o Brasil mudou. O povo está atento e exige de nós respeito à Constituição e zelo pelo dinheiro público. Por isso as motivações da vontade popular continuam vivas e inabaláveis.”


Veja a lista completa de quem esteve na comitiva:

Primeira-dama, Michelle Bolsonaro
Ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo
Ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva
Ministro de Minas e Energia, Bento Costa
Ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno
Governador do Paraná, Ratinho Júnior (PSD)
Chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, Raul Botelho
Senador Jorginho Mello (PL/SC)
Senador Nelsinho Trad (PSD/MS)
Deputado Eduardo Bolsonaro (PSL/SP)
Deputado Daniel Freitas (PSL/SC)
Embaixador Nestor Forster
Embaixador João Mendes
Assessor internacional, Filipe Martins
Secretário de Comunicação Social, Fábio Wajngarten
Presidente da Embratur, Gilson Machado Guimarães Neto
Presidente da Apex, Ricardo Segovia Barbosa
Chefe de operações da Apex Brasil para a América do Norte, Juarez Leal
Secretário especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais, Marcos Troyjo
Secretária especial do PPI, Martha Seillier
Secretário de Aquicultura e Pesca do MAPA, Jorge Seif

Publicidade