Clique e assine a partir de 9,90/mês

Bolsonaro critica exame toxicológico para porte e posse de arma

"Tem que infernizar a vida de quem está fazendo a coisa errada. Quem quer comprar uma arma não é para fazer besteira", afirmou o presidente durante live

Por Da Redação - 7 fev 2020, 04h36

O presidente Jair Bolsonaro criticou nesta quinta-feira, 6, o projeto de lei aprovado na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado que exige exame toxicológico para a posse ou porte de arma de fogo.

“Meu Deus do céu, tem que infernizar a vida de quem está fazendo a coisa errada, não de quem quer fazer a coisa certa. Quem quer comprar uma arma não é para fazer besteira. [Para] fazer besteira ele vai aí para o câmbio negro, um lugar qualquer”, afirmou o presidente durante transmissão ao vivo nas redes sociais.

O projeto apresentado pelo senador Styvenson Valentim (Podemos-RN) foi aprovado na CCJ do Senado na última quarta-feira, 5, e só será analisado em plenário casa haja recurso, senão vai direto para a Câmara dos Deputados.

“Esse projeto de lei não é bem-vindo”, afirmou Bolsonaro. “Se por ventura passar, eu posso exercer o direito de veto e depois o Congresso Nacional decide se mantém ou não [o veto]”, acrescentou o presidente.

Continua após a publicidade

O texto aprovado pelos senadores exige o exame toxicológico com resultado negativo a cada três anos para que o Certificado de Registro de Arma de Fogo seja renovado.

Bolsonaro também pediu que eleitores favoráveis ao porte e posse de arma pressionem os parlamentares para que o projeto seja derrubado.

“A gente podia exigir [o exame] para todo mundo. Quem quer ser candidato a alguma coisa, fazer a mesma coisa. Porque um voto mal dado às vezes tem um efeito pior do que uma bala disparada por um irresponsável”, salientou Bolsonaro.

Publicidade