Clique e assine a partir de 9,90/mês

Boca de urna: Suplicy e Dilma correm risco de ficarem de fora do Senado

Pesquisa do Ibope realizada neste domingo mostram candidatos do PT com porcentuais de votos abaixo do necessário para uma das duas vagas

Por Leonardo Lellis - Atualizado em 7 out 2018, 18h13 - Publicado em 7 out 2018, 18h10

Pesquisas de boca de urna do Ibope divulgadas neste domingo indicam que o PT corre o risco de ficar fora do Senado pelos três maiores colégios eleitorais do Brasil: São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro.

Em São Paulo, o ex-senador e atual vereador Eduardo Suplicy, que vinha liderando as pesquisas divulgadas até a véspera da eleição, está em terceiro lugar com 15% dos votos declarados segundo o levantamento.

O petista está empatado dentro da margem de erro com a deputada federal Mara Gabrilli (PSDB), que tem 17%. Quem lidera no estado, segundo a boca de urna do Ibope, é Major Olímpio, candidato do PSL, que tem 24%.

A situação também é desfavorável ao PT em Minas Gerais, onde a ex-presidente Dilma Rousseff também liderava os levantamentos anteriores à eleição.

Porém, na pesquisa de boca de urna deste domingo, a petista está apenas em quarto lugar, com (15%) na disputa pelas duas vagas. Ela está atrás de de Rodrigo Pacheco (DEM) e Dinis Pinheiro (Solidariedade), empatados com 18%, e de Carlos Viana (PHS), líder com 21%.

A margem de erro dos levantamentos é de três pontos porcentuais para mais ou para menos.

No Rio de Janeiro, o senador petista Lindbergh Farias não deve ter o seu mandato renovado. Ele está em quarto lugar na boca de urna (12%) — a pesquisa anterior à eleição também indicava sua derrota, mas ele tinha uma margem de votos maior (21%).

O resultado da boca de no RJ mostra que devem ser eleitos Flávio Bolsonaro (PSL), com 38% dos votos declarados, e Cesar Maia (DEM), com 18%. Os dois também lideravam a disputa nos levantamentos prévios à eleição.

 

Continua após a publicidade
Publicidade