Clique e assine com 88% de desconto

Associação indígena diz que vai entrar na Justiça contra Bolsonaro

Em sua live semanal no Facebook, o presidente declarou: 'O índio mudou, está cada vez mais um ser humano igual a nós'

Por Da Redação - 24 jan 2020, 10h07

A Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib) afirmou que vai entrar na Justiça contra o presidente Jair Bolsonaro por crime de racismo. A ação, anunciada pela coordenadora-executiva da associação indígena e ex-candidata a vice-presidente Sonia Guajajara, é motivada por uma declaração do presidente em sua live semanal no Facebook na quinta-feira 24. Bolsonaro afirmou: “O índio mudou, está cada vez mais um ser humano igual a nós”.

Ao anunciar o processo no Twitter, Sonia Guajajara disse: “Nós, povos indígenas, originários desta terra, exigimos respeito! Bolsonaro mais uma vez rasga a Constituição ao negar nossa existência enquanto seres humanos”.

Na transmissão ao vivo, Bolsonaro usou seu habitual tom debochado para fazer comentários sobre os povos nativos da Amazônia. Na conversa sobre o Conselho da Amazônia com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, o presidente afirmou ainda que a ideia é “que o índio se integre cada vez mais e seja dono de sua terra indígena”. O Conselho da Amazônia, subordinado à pasta do vice-presidente Hamilton Mourão, foi uma repostas do governo às críticas internacionais frente à decisão do governo de acabar com o Fundo da Amazônia no ano passado.

Além de Sonia, outros representantes dos povos indígenas se posicionaram contra a fala do presidente nas redes sociais, como a professora e ativista Celia Xakriabá e Francisco Piyako, coordenador da Organização dos Povos Indígenas do Rio Jurá (Opirj). “Basta, já passou de todos os limites. Nossa cultura não pode ser assim subestimada”, disse Piyako.

Publicidade

Publicidade