Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Arquiteta que reformou casa de Dirceu confirma que foi contratada por lobista

Investigadores afirmam que dinheiro de propina quitou os 1,8 milhão de reais investidos na obra para o petista

A arquiteta Daniela Leopoldo e Silva Facchini disse ao juiz Sérgio Moro, em depoimento por videoconferência na quarta-feira, que realizou uma reforma completa na casa que seria alugada pelo ex-ministro José Dirceu (PT), em Vinhedo (SP). Segundo ela, o custo total da obra foi de 1.814.546 reais, bancados pelo lobista Milton Pascowitch, delator da Lava Jato – 1,3 milhão pagos por meio de depósitos bancários e os cerca de 500.000 reais restantes em dinheiro vivo.

“O Milton me chamou e me contratou para fazer a obra. Em maio de 2013, ele me perguntou se eu poderia fazer a reforma de uma casa em Vinhedo. A gente visitou a casa. Era um imóvel bem danificado, uma casa abandonada, praticamente um esqueleto, tinha pouca coisa tinha que pudesse ser aproveitada”, disse a arquiteta.

Ela declarou que era amiga de Pascowitch e que a casa foi praticamente reconstruída e equipada especialmente para o petista, que seria o locatário do imóvel. Ela disse ter sido avisada de que Dirceu moraria no local, A casa fica perto da atual residência de Dirceu em Vinhedo.

Os investigadores da Operação Lava Jato afirmam que a obra foi bancada com dinheiro de propina, conforme revelado por Pascowitch. Daniela disse que todos os detalhes, como decoração e escolha de equipamentos, ficaram a cargo de Pascowitch e que ele realizou pagamentos por meio da empresa Jamp e também “em cash”.

As notas fiscais da obra foram emitidas, a pedido do lobista, em nome da empresa TGS Consultoria, do corretor Júlio Cesar dos Santos, também réu na ação penal e suspeito de atuar como laranja do ex-ministro.