Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Após exames, cirurgia de Bolsonaro está confirmada para segunda-feira

Um gabinete foi montado ao lado do quarto do presidente para que ele receba ministros enquanto se recupera do procedimento

Por Da Redação - Atualizado em 27 jan 2019, 20h27 - Publicado em 27 jan 2019, 20h25

O procedimento cirúrgico para retirada da bolsa de colostomia de Jair Bolsonaro está confirmado para a manhã desta segunda-feira, 28. Exames pré-laboratoriais e de imagem realizados neste domingo apresentaram resultados normais, de acordo com o Hospital Israelita Albert Einstein.

O presidente ficará em repouso absoluto nas 48 horas seguintes ao procedimento e o vice Hamilton Mourão será o presidente em exercício nesse período, além de assumir durante a cirurgia. A previsão é que Bolsonaro fique 10 dias internado.

O Gabinete de Segurança Institucional(GSI) montou um gabinete ao lado do quarto de Bolsonaro no hospital para que ele consiga orientar os órgãos de Brasília e, mediante autorização médica, receber ministros enquanto se recupera da cirurgia de retirada da bolsa de colostomia.

Participarão do procedimento o cirurgião Antônio Luiz Macedo e o clínico e cardiologista Leandro Echenique, além de médicos da Presidência da República e outros profissionais. O procedimento será acompanhado pelo diretor superintendente do hospital, Miguel Cendoroglo.

Publicidade

Vieram a São Paulo com Bolsonaro o seu vice, o filho Eduardo, a primeira-dama, Michelle, e o porta voz do governo, general Otávio Santana do Rêgo Barros. Os ministros só virão nos próximos dias caso precisem despachar com o presidente.

Neste domingo, o presidente recebeu a visita do empresário e amigo Fábio Wajngarten, que ajudou a articular, com o embaixador de Israel, Yossi Shelly, e com o Planalto, a vinda da ajuda humanitária para as vítimas do rompimento da barragem da Vale em Brumadinho (MG).

(Com Estadão Conteúdo)

Publicidade