Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Ao falar após sair da UTI, Bolsonaro questiona ‘lisura’ das eleições

Presidenciável voltou a criticar as urnas eletrônicas, disparou contra Haddad e ironizou pesquisas que apontam sua derrota em um segundo turno

Por André Siqueira Atualizado em 17 set 2018, 08h53 - Publicado em 16 set 2018, 17h46

O candidato à presidência da República Jair Bolsonaro (PSL) questionou a “lisura” das eleições de outubro em seu primeiro pronunciamento desde que passou pela segunda cirurgia abdominal, em consequência do atentado a faca sofrido em Juiz de Fora em 6 de setembro.

O capitão reformado do Exército e líder nas pesquisas falou num suposto risco “concreto” de fraude, embora não tenha apresentado nenhuma fraude. Também afirmou que se Fernando Haddad (PT) vencer, ele concederia um indulto ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva — questionado sobre esta possibilidade, o petista nega.

Filmado pelo filho Eduardo, Bolsonaro chorou assim que a câmera focalizou seu rosto na cama do hospital. Em seguida, agradeceu e elogiou os trabalhos das equipes médicas da Santa Casa de Juiz de Fora, de Minas Gerais, e do hospital Albert Einstein. ”Vocês salvaram a minha vida”, disse.

Na sequência, o presidenciável passou a contestar os rumos das eleições, as quais ele considera que podem ser fraudadas. ”Se essa fraude acontecer, acabou a democracia”, disparou. Ele reeditou também suas críticas habituais ao Supremo Tribunal Federal (STF) por ter acolhido uma ação da Procuradora-Geral da República, Raquel Dodge, contra o voto impresso.

“Lamento que a frase de maior força da senhora Raquel Dodge tenha sido a de que o voto impresso comprometeria a segurança das eleições”, disse. “Não temos qualquer garantia nessas eleições”, complementou o candidato do PSL.

Além disso, Bolsonaro ironizou as pesquisas de intenção de votos do instituto Datafolha. “A última narrativa é a de que perderemos no segundo turno para qualquer um”, disse. “Nossa preocupação não é perder no voto, é perder na fraude”, acrescentou. Por fim, o presidenciável disse que espera receber alta em uma semana.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)