Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Venezuela inicia exercícios militares na fronteira com a Colômbia

Maduro declarou "alerta laranja" por suposta ameaça do país vizinho; governo colombiano nega hipótese de conflito

A Venezuela iniciou, nesta terça-feira exercícios militares na fronteira com a Colômbia, atendendo à ordem dada pelo presidente do país, Nicolás Maduro, na última semana.

Em meio à escalada de tensão com o governo do país vizinho, a Força Armada Nacional Bolivariana (FANB) não disparou um único tiro nos exercícios realizados até aqui. Nas manobras desta terça, o governo chavista só movimentou tropas e veículos para a região da fronteira.

Fontes ligadas à FANB disseram aos jornalistas que há 150 mil soldados e policiais na região da fronteira. No entanto, não há informações se todos eles participarão dos exercícios, vistos como uma provocação pela Colômbia.

O chefe do Comando Estratégico Operacional da FANB, Remigio Ceballos, comandou o primeiro dia de exercícios e afirmou que a Venezuela tem “amigos no mundo tudo”, uma resposta à oposição, que denuncia a presença de soldados russos e cubanos entre os militares do país.

Em discurso, Maduro disse que o Exército está pronto para as manobras militares e anunciou que manterá o “alerta laranja” na fronteira, decretado após o líder chavista afirmar, sem apresentar qualquer tipo de evidência, que o governo da Colômbia planeja invadir a Venezuela.

“É para deixar tudo pronto, para defender nosso território. Não ameaçamos ninguém, mas estamos prontos para nos defendermos se necessário”, afirmou Maduro.

Para o líder da oposição, Juan Guaidó, reconhecido como presidente interino da Venezuela por mais de 50 governos, entre eles o do Brasil, os exercícios militares são uma estratégia de Maduro para distrair a população da crise econômica que abala o país nos últimos anos.

Do lado colombiano, o discurso do governo é de que o país não cairá nas provocações de Maduro. Essa mensagem foi repassada hoje pela vice-presidente, Marta Lúcia Ramírez, que negou qualquer hipótese de confronto militar com a Venezuela.

(Com EFE)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. José Oliveira Martins

    A Venezuela quer dar ao povo venezuelano, na falta de alimentos, sangue, poeira e chumbo para alimentá-los. Este “Hugo Chaves” é um canalha. Todavia o povo venezuelano devia se insurgir contra o mesmo de maneira categórica e exigir sua saída. Mas não. Preferem fugir. Simples assim.

    Curtir

  2. Aldo Ferreira de Moraes Araújo

    Fica bem claro que o negócio é desviar a atenção popular, mas ao contrário da junta militar argentina em 1982 (Guerra das Falkland, ou Malvinas), acho que Maduro não iniciará uma guerra, pois o adversário é vizinho. Os argentinos acharam que os britânicos achariam as ilhas longe demais.

    Curtir