Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Venezuela inicia exercícios militares na fronteira com a Colômbia

Maduro declarou "alerta laranja" por suposta ameaça do país vizinho; governo colombiano nega hipótese de conflito

Por Da Redação 11 set 2019, 03h21

A Venezuela iniciou, nesta terça-feira exercícios militares na fronteira com a Colômbia, atendendo à ordem dada pelo presidente do país, Nicolás Maduro, na última semana.

Em meio à escalada de tensão com o governo do país vizinho, a Força Armada Nacional Bolivariana (FANB) não disparou um único tiro nos exercícios realizados até aqui. Nas manobras desta terça, o governo chavista só movimentou tropas e veículos para a região da fronteira.

Fontes ligadas à FANB disseram aos jornalistas que há 150 mil soldados e policiais na região da fronteira. No entanto, não há informações se todos eles participarão dos exercícios, vistos como uma provocação pela Colômbia.

O chefe do Comando Estratégico Operacional da FANB, Remigio Ceballos, comandou o primeiro dia de exercícios e afirmou que a Venezuela tem “amigos no mundo tudo”, uma resposta à oposição, que denuncia a presença de soldados russos e cubanos entre os militares do país.

Continua após a publicidade

Em discurso, Maduro disse que o Exército está pronto para as manobras militares e anunciou que manterá o “alerta laranja” na fronteira, decretado após o líder chavista afirmar, sem apresentar qualquer tipo de evidência, que o governo da Colômbia planeja invadir a Venezuela.

“É para deixar tudo pronto, para defender nosso território. Não ameaçamos ninguém, mas estamos prontos para nos defendermos se necessário”, afirmou Maduro.

Para o líder da oposição, Juan Guaidó, reconhecido como presidente interino da Venezuela por mais de 50 governos, entre eles o do Brasil, os exercícios militares são uma estratégia de Maduro para distrair a população da crise econômica que abala o país nos últimos anos.

Do lado colombiano, o discurso do governo é de que o país não cairá nas provocações de Maduro. Essa mensagem foi repassada hoje pela vice-presidente, Marta Lúcia Ramírez, que negou qualquer hipótese de confronto militar com a Venezuela.

(Com EFE)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)