Clique e assine a partir de 9,90/mês

UE e países do Golfo pedem que ONU reaja à situação na Síria

Por Da Redação - 31 jan 2012, 13h30

Bruxelas, 31 jan (EFE).- A União Europeia (UE) e o Conselho de Cooperação do Golfo (CCG) expressaram nesta terça-feira sua preocupação com a situação na Síria e pediram ao Conselho de Segurança da ONU que atue urgentemente para deter a repressão.

‘Urgimos a todos os membros do Conselho de Segurança das Nações Unidas a assumir suas responsabilidades e tomar medidas urgentes’, destacou em comunicado a chefe da diplomacia comunitária, Catherine Ashton, depois de reunir-se com o secretário-geral do CCG, Abdelatif Zayani.

Segundo Ashton, ambos compartilharam sua ‘grande preocupação’ pela ‘escandalosa campanha de repressão’ do regime de Bashar al Assad contra o povo sírio.

A alta representante reiterou mais uma vez sua chamada pelo fim da violência e seu apoio aos esforços da Liga Árabe para deter o conflito.

Continua após a publicidade

O Conselho de Segurança da ONU aborda novamente hoje a complicada situação dos direitos humanos na Síria, com um projeto de resolução proposto pelo Marrocos que pede a saída do poder de Assad, e que conta com a rejeição da Rússia.

Os líderes dos 27 países do bloco já reivindicaram ontem uma resposta nesse fórum à repressão dos protestos no país.

Por outra parte, Ashton apresentou também hoje ao secretário-geral do CCG a última rodada de sanções imposta pela UE ao programa nuclear iraniano, que inclui um embargo petrolífero, e ressaltou que o bloco segue aberto a negociar com Teerã.

Os dois líderes trataram, além disso, do processo de paz no Oriente Médio, da Líbia e da situação na região do Golfo e no Iêmen.

Continua após a publicidade

No caso deste último país, a UE pediu a Abdelatif Zayani que os países da região sigam cooperando para ajudar o Iêmen a superar ‘seus muitos desafios’. EFE

Publicidade