Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Turquia proíbe acadêmicos de viajarem para o exterior

A medida vem um dia após o governo pedir a renúncia de 1.577 reitores de universidades, como forma de banir possíveis apoiadores do golpe militar fracassado

O governo da Turquia proibiu todos os acadêmicos do país de viajarem para o exterior para fins de pesquisa ou estudo, segundo anunciou a TV estatal TRT nesta quarta-feira. A medida é mais uma reposta à tentativa frustrada de golpe militar da última sexta-feira.

A limpa do governo do presidente Recep Tayyip Erdogan em órgãos públicos, para evitar novas conspirações e punir possíveis envolvidos no golpe falho, já suspendeu mais de 50.000 pessoas de seus cargos. Na terça-feira, 1.577 reitores de universidades turcas foram obrigados a renunciar seus postos, além de 21.000 professores e 15.000 funcionários do Ministério da Educação.

De acordo com um oficial do governo não identificado, a proibição de viagens é apenas “temporária”. “Como é de conhecimento geral, as universidades sempre foram cruciais para as juntas militares na Turquia e certos indivíduos são suspeitos de estarem em contato com células rebeldes do exército”, comentou ao jornal The Washington Post. Opositores de Erdogan acreditam que o presidente possa estar usando o momento de tumulto como uma desculpa para acabar com os últimos vestígios de oposição ao seu governo.

Nesta quarta-feira, Erdogan realizará suas primeiras reuniões oficiais com o conselho de segurança da Turquia desde que voltou à capital Ancara, depois do golpe frustrado. O governo anunciou que irá divulgar uma “decisão importante” após o encontro, o que aumentou as expectativas de novas medidas para conter os opositores e punir os possíveis conspiradores do episódio de sexta-feira.

Leia também:
Acusado de liderar levante militar na Turquia nega envolvimento
Pena de morte cessaria diálogo turco com a UE, alerta Alemanha
Governo turco prende mais de 100 generais após golpe frustrado

Wikileaks — A agência reguladora de telecomunicações da Turquia anunciou hoje o bloqueio do site WikiLeaks, horas depois de a página divulgar quase 300.000 e-mails do partido governista. O site afirmou que estava levando a público os documentos, que podem conter materiais que prejudiquem o governo de Erdogan, antes do planejado “em resposta aos expurgos pós-golpe ”. A fonte dos e-mails não está ligada aos mentores do golpe nem a um partido ou Estado rival, disse o site.

(Com agência Reuters)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. bobpeh2 brasil sempre

    é ai está o que o Erdogan vem tentando há muito tempo, como o Busch Filho fez nos EUA para obter as “leis” antiterrorismo, ele está fazendo na Turquia agora, implantando a Ditadura da Sharia, e vai barbarizar o País todo. Estava montando esse golpe para isso e agora conseguiu. Será mais um ditadorzinho exigindo a burca e barbas compridas, implementando as polícias religiosas pelo País e fazendo a Turquia retroceder 1.000 anos. Quem sabe se igualando ao Afganistão de 20 anos atrás.

    Curtir

  2. Não foi golpe

    Curtir

  3. Napoleao Gomes

    Isso é “democracia all caedeana, islâmica… Nasce ali um novo Sadan!

    Curtir

  4. Fernando Verneck

    Erdogan disse que nao vai ter golpe.

    Curtir

  5. Está em marcha o EI reconhecido pela ONU. A única notícia boa e que vamos nos livrar da presidanta e do Obamabanana

    Curtir