Clique e assine a partir de 9,90/mês

Trump volta atrás (de novo) e apoia política da ‘China única’

De acordo com a imprensa americana, o governo chinês temia uma provável "humilhação" de Xi Jinping caso o telefonema com Trump desse errado

Por Da redação - 10 fev 2017, 08h22

Em mais uma reviravolta diplomática, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, mudou de atitude e concordou em respeitar a política de “China única”. A afirmação foi feita nesta quinta-feira durante telefonema com o presidente chinês, Xi Jinping, em um grande impulso diplomático para Pequim, que não tolera críticas à sua reivindicação de Taiwan.

Trump irritou Pequim em dezembro ao conversar com a presidente de Taiwan e dizer que os Estados Unidos não precisariam necessariamente manter a política, sob qual Washington reconhece a posição chinesa de que há somente uma China e Taiwan pertence à ela. Em comunicado, a Casa Branca informou que Trump e Xi tiveram uma longa conversa por telefone.

Taiwan reagiu com silêncio ao anúncio. Um porta-voz da presidente taiwanesa, Tsai Ing-wen, disse em comunicado que é interesse de Taiwan manter boas relações com os EUA e China.

Os líderes dos EUA e China não conversavam por telefone desde a posse de Trump, em 20 de janeiro. De acordo com a imprensa americana, o governo chinês expressava nervosismo sobre uma provável “humilhação” de Xi caso o telefonema com Trump desse errado e detalhes fossem vazados à mídia.

Continua após a publicidade

(Com agências Reuters e France-Presse)

Publicidade