Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Trio ganha Nobel de Física por estudos sobre a evolução do Universo

Pesquisadores criaram base teórica da compreensão moderna da história do Universo e descobriram pela primeira vez um planeta fora do Sistema Solar

Por Da Redação
Atualizado em 8 out 2019, 08h57 - Publicado em 8 out 2019, 08h52

O canadense naturalizado americano James Peebles e os suíços Michel Mayor e Didier Queloz foram anunciados nesta terça-feira, 8, como vencedores do Nobel de Física pelos seus estudos sobre a evolução do Universo e o lugar da Terra no Cosmos.

Peebles foi premiado pelas descobertas teóricas em cosmologia física, enquanto Mayor e Queloz por identificarem um exoplaneta orbitando uma estrela solar.

Especialista em cosmologia, Peebles, de 84 anos, nasceu em Winnipeg, no Canadá, e é pesquisador da Universidade de Princeton, nos Estados Unidos.

Mayor, de 77 anos, compartilhou boa parte do trabalho como pesquisador com o colega e compatriota Queloz, de 53. Ambos trabalham na Universidade de Genebra, na Suíça.

O marco teórico desenvolvido ao longo de duas décadas por Peebles é a base da nossa compreensão moderna da história do Universo, desde o Big Bang até os dias atuais, segundo o comitê Nobel.

Continua após a publicidade

Mayor e Queloz, que estudaram a Via Láctea em busca de mundos desconhecidos, foram os primeiros a descobrir, em 1995, um planeta fora do nosso Sistema Solar, um exoplaneta que orbitava a estrela 51 Pegasi.

Além do prestígio, os vencedores ganham um prêmio em dinheiro, que neste ano chega a 9 milhões de coroas suecas (3,7 milhões de reais). Caso mais de uma pessoa vença em uma mesma categoria, o valor é dividido. Neste caso, uma metade do prêmio irá para Peebles, enquanto Mayor e Queloz repartirão a outra.

Continua após a publicidade

O prêmio de Física segue o de Medicina, que abriu nesta segunda-feira 7 a série de anúncios da atual edição do Nobel. Nos próximos dias serão divulgados os vencedores de Química, Literatura, Paz e Economia.

O Nobel de Medicina foi para os americanos William G. Kaelin e Gregg L. Semenza e o britânico Peter J. Ratcliffe, por revelarem a relação das células com o oxigênio disponível, o que possibilitou novas estratégias para o combate à anemia e ao câncer.

Os prêmios serão entregues no dia 10 de dezembro, aniversário da morte de seu fundador, Alfred Nobel, em uma cerimônia na Sala de Concertos de Estocolmo. O Nobel da Paz será entregue na Câmara Municipal de Oslo. Esta é a única cerimônia realizada fora da Suécia, por desejo de Nobel, já que a Noruega fazia parte do Reino da Suécia na sua época.

Nesta edição serão anunciados excepcionalmente dois prêmios de Literatura, por 2018 e 2019, já que no ano passado a honraria não foi concedida devido ao escândalo de denúncias de abuso sexual que comprometeu a Academia Sueca.

Continua após a publicidade

(Com EFE)

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.