Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Tensão reduzida e aceno à paz: 4 momentos do discurso de Trump

Presidente americano freou escalada de hostilidades com o Irã após morte de Soleimani e bombardeio a bases no Iraque

Por Da Redação - Atualizado em 8 jan 2020, 15h13 - Publicado em 8 jan 2020, 15h05

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, usou seu discurso nesta quarta-feira, 8, para reduzir a escalada de tensão entre o seu país e o Irã. O republicano não falou em retaliação militar ao bombardeio iraniano contra bases americanas no Iraque e acenou com a possibilidade de um novo acordo nuclear com o país. Mais ainda, declarou que os EUA estão dispostos a “abraçar a paz”.

Confira os quatro principais pontos do discurso de Trump na Casa Branca:

– Sem baixas

Trump destacou que nenhum americano foi ferido nos bombardeios. Eventuais baixas poderiam forçar o líder a responder à altura. Mais cedo, o Iraque há havia comunicado que nenhum iraquiano morreu nos ataques.

Publicidade

“Não sofremos baixas, todos os nossos soldados estão seguros e nossas bases militares sofreram apenas danos mínimos.”

– Tensão reduzida

O líder americano evitou subir ainda mais o tom de suas declarações contra o Irã e afirmou que o regime “está se acalmando”. Trump disse ainda que os EUA estão dispostos a “abraçar a paz” e desejam prosperidade ao povo iraniano.

“Ao povo e aos líderes do Irã: nós queremos que vocês tenham um grande futuro – um que vocês merecem, de prosperidade interna e harmonia com os países do mundo. Os EUA estão prontos para abraçar a paz com todos aqueles que a procurarem.”

Publicidade

– Acordo nuclear

Trump declarou que os países que ainda integram o pacto devem abandoná-lo e se juntar a ele na negociação de um novo acordo nuclear com o Irã.

“O Irã deve abandonar sua ambição nuclear e encerrar seu apoio ao terrorismo. Chegou a hora de Reino Unido, Alemanha, França, Rússia e China reconhecerem essa realidade. Eles devem romper com o que sobrou do acordo com o Irã e nós devemos trabalhar juntos em um novo pacto com o Irã que faça do mundo um lugar mais seguro e pacífico.”

– Sanções

Publicidade

Em outro sinal de que não está disposto a responder ao bombardeio iraniano com novas ações militares, o líder americano falou em aplicar sanções ao regime – a declaração mostra um retorno à opção pelas pressões diplomáticas e econômicas como forma de acuar o Irã.

“Enquanto continua a avaliar opções de resposta à agressão iraniana, os EUA vão imediatamente impor sanções econômicas adicionais ao regime do Irã. Essas sanções poderosas vão permanecer até que o Irã mude o seu comportamento.”

Publicidade