Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

‘Só palavras’, diz presidente da Ucrânia sobre negociações de paz

De acordo com políticos de Kiev, Vladimir Putin deseja apenas reagrupar seu Exército

Por Ernesto Neves Atualizado em 30 mar 2022, 20h17 - Publicado em 30 mar 2022, 19h33

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, afirmou nesta quarta-feira (30) que as negociações por um cessar-fogo com a Rússia prosseguem, mas que neste momento, “são só palavras” e que não há “nada concreto”.

“Não acreditamos em ninguém”, afirmou o líder ucraniano. “Há uma situação real no campo de batalha. Lutaremos por cada metro de nossa terra, por cada um de nosso povo.”

Parlamentares do país em visita a Washington também disseram que Vladimir Putin está utilizando as negociações de paz como “cortina de fumaça”.

Segundo os políticos, o objetivo do Kremlin é apenas reagrupar suas tropas em meio a perdas alarmantes de soldados.

“Neste momento, as negociações estão longe de serem reais”, afirmou Ivanna Klympush-Tsintsadze, que preside o Comitê Parlamentar da Ucrânia para a Integração da Ucrânia na União Europeia.

Continua após a publicidade

“Definitivamente, acho que Putin está usando isso como uma cortina de fumaça, ganhando tempo para se reagrupar. E enviando mensagens falsas e mentirosas para o mundo inteiro”, disse Ivanna.

“Sentimos que não são negociações de paz reais”, completou a deputada Anastasia Radina, que lidera o Comitê de Política Anticorrupção do parlamento.

“Sentimos que o que a Rússia está fazendo é tentar manter as aparências. Eles dizem que estão retirando tropas da região de Kiev. Isso não é verdade por uma simples razão. Eles não estão se retirando. Eles foram expulsos”, prosseguiu Anastasia.

Os comentários feitos pela comissão parlamentar acontecem um dia após o Ministério da Defesa da Rússia afirmar que decidiu “reduzir drasticamente as hostilidades” em torno de Kiev e Chernihiv.

Autoridades dos Estados Unidos, incluindo o presidente Joe Biden, estão céticas em relação ao anúncio.

“Veremos”, disse Biden, quando questionado sobre as afirmações da Rússia. “Eu não vejo avanços até de fato observar as ações da Rússia. Vamos ver se eles seguem o que estão falando”, afirmou.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês