Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Rússia recebe exigências da Ucrânia, mas não vê avanço em negociações

Na terça-feira, representantes ucranianos e russos se encontraram em Istambul, Turquia, para mais uma rodada de conversas

Por Da Redação 30 mar 2022, 12h25

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, reconheceu nesta quarta-feira, 30, que a Rússia aprecia o fato de a Ucrânia ter enviado suas demandas por escrito, mas afirmou que não há sinais de progresso na negociação entre os dois países. Na terça-feira, representantes ucranianos e russos se encontraram em Istambul, Turquia, para mais uma rodada de conversas.

“Não podemos constatar avanços. Esperamos um trabalho bastante longo”, disse Peskov a repórteres. Segundo ele, não há nada promissor no documento enviado por escrito e as partes do conflito têm um longo período de trabalho. 

O chefe da delegação russa, Vladimir Medinski, falou na terça-feira, pela primeira vez, sobre a possibilidade de um tratado entre Moscou e Kiev, depois de negociações que descreveu como “construtivas”.

Segundo Medinski, as propostas ucranianas incluem a renúncia de Kiev na intenção de entrar na Otan e o compromisso ucraniano de neutralidade permanente, sendo um país sem armas nucleares ou armas de destruição em massa ou tropas estrangeiras.

Em troca, disse o mediador russo, a Ucrânia exige garantias internacionais de segurança e assume que a Rússia não se oporá à entrada na União Europeia.

“Depois da conversa substancial de hoje, concordamos e propusemos um acordo, segundo o qual, a reunião entre os chefes de Estado (Vladimir Putin e o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky), é possível simultaneamente com o início de um tratado”, indicou Medinski.

Continua após a publicidade

O próprio presidente da Rússia reconheceu nesta terça-feira, 29, que houve “avanços” nas conversas em Istambul, durante telefonema ao presidente da França, Emmanuel Macron. No entanto, o líder russo se manteve inflexível sobre o desejo de seguir com a ofensiva militar na Ucrânia e rejeitou o pedido do presidente francês por uma trégua em Mariupol, uma das cidades mais devastadas pelas tropas russas.

Apesar das promessas de cessar-fogo em algumas regiões da Ucrânia, feitas pelo Ministério da Defesa da Rússia, autoridades ucranianas afirmaram nesta quarta-feira, 30, que os ataques militares se intensificaram na cidade de Tchernihiv.

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, tratou o anúncio do Kremlin com desconfiança, afirmando que só acreditará na promessa da Rússia de reduzir seus ataques à Ucrânia quando isso de fato acontecer.

Em pronunciamento nesta terça-feira, 29, o presidente ucraniano Volodymyr Zelensky também se mostrou cético e declarou que os ucranianos “não são pessoas ingênuas” e que a única coisa em que podem confiar é um resultado concreto.

As conversas de paz entre representantes dos dois países giraram em torno da exigência de Kiev por um cessar-fogo, e da condição imposta por Moscou da aplicação do estatuto de neutralidade à nação ucraniana. Além disso, o Kremlin também exige que o país vizinho reconheça a independência das regiões de Donetsk e Luhansk e península da Crimeia como um território russo.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês