Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Senadores americanos: “investigação telefônica é legal”

Senadores democratas e republicanos defendem verificação de ligações de milhões de usuários da Verizon, uma das maiores operadoras do país

Os líderes do comitê de inteligência do Senado americano defenderam nesta quinta-feira a investigação, por parte do governo dos Estados Unidos, dos telefonemas de milhões de clientes de uma das maiores operadoras do país, a Verizon. Os senadores Saxby Chambliss, do Partido Republicano, e Dianne Feinstein, democrata, disseram que sabiam da investigação há sete anos e que não têm problema algum com isso. Segundo eles, vasculhar ligações de milhões de americanos faz parte da batalha dos Estados Unidos contra o terrorismo.

“Chama-se proteger os Estados Unidos”, disse Dianne, citando a importância de proteger os direitos de privacidade no país. “É por isso que é cuidadosamente realizado”. A democrata disse que o programa, que existe há sete anos, é renovado a cada três meses, e foi “amplamente debatido no Senado”.

Chambliss, o outro líder do comitê de inteligência do Senado, disse que todos os membros do congresso americano tinham conhecimento da prática. “O comitê de inteligência leva sua autoridade e obrigação de verificação muito a sério e nós revisamos cada programa de inteligência regularmente, inclusive este”.

Outros republicanos saíram em defesa da investigação. “Se não fizéssemos isso, seríamos loucos”, disse o senador de Carolina do Sul, Lindsey Graham. O líder do comitê de inteligência da Câmara de Representantes, Mike Rogers, disse que a prática é legal e autorizada pelo Congresso. Segundo Rogers, o programa de verificação de ligações do governo foi usado para impedir um “ataque terrorista significativo” no passado, mas ele não quis dar mais informações sobre a ameaça.

Leia também:

Leia também: Escândalo traz à tona nova tática do Fisco – vasculhar o Facebook

Casa Branca

Associated Press

Fox News

Caio Blinder: Será que escândalos levarão Obama para a lixeira da história?

O presidente Obama negou-se a pedir desculpas, com a justificativa de que “vazamentos em questões de segurança ameaçam a vida de agentes de inteligência”. Na zona de sombra entre os imperativos da segurança nacional e a garantia às liberdades civis, o governo americano tem o direito legal de obter registros telefônicos de jornalistas, mas só quando esta for a última alternativa e de modo limitado. Os casos ligados à imprensa também trazem à tona o tratamento que o governo democrata dá aos inimigos. A administração Obama tem sido implacável com os vazadores. O número de acusados de vazamentos no atual governo já é mais que o dobro de todos os governos anteriores somados.