Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Russos acusados por caso Skripal fingiram ser empresários para obter visto

Segundo jornal britânico, os dois homens indiciados por envenenamento do ex-espião apresentaram cartões de visita e contas bancárias

Os dois russos acusados pelo Reino Unido ​​de envenenar o ex-espião Sergei Skripal com a substância Novichok fingiram ser empresários de São Petersburgo para obter vistos para entrar em Londres, afirmou nesta sexta-feira o jornal The Telegraph.

Os suspeitos, identificados como Alexander Petrov e Ruslan Boshirov, “ambos com cerca de 40 anos, passaram-se por empresários para obter vistos no consulado britânico de São Petersburgo”, indicou o jornal, citando fontes da segurança.

As autoridades britânicas acreditam que os nomes usados pelos russos para obter os vistos são falsos. As identidades reais dos suspeitos não foram divulgadas, mas a polícia local diz saber quem eles são.

“Eles disseram às autoridades britânicas que trabalhavam no comércio internacional e apresentaram cartões de visita e contas bancárias com um saldo de milhares de libras”.

“Os vistos só são emitidos se os visitantes russos do Reino Unido puderem demonstrar que têm os meios para retornar” ao seu país, apontou o jornal.

A fonte citada pelo jornal ressalta que, “como é difícil para os cidadãos russos obter vistos, estes dois homens eram exatamente o tipo de pessoas que deveriam ter levantado suspeitas”.

Londres anunciou na quarta-feira, 5, que emitiu mandados de prisão contra os dois homens, acusados ​​de serem “oficiais” do serviço de inteligência militar russo, conhecido como GRU.

A Procuradoria britânica indiciou os suspeitos por três acusações: conspiração para cometer assassinato, tentativa de assassinato contra Sergei Skripal, sua filha Yulia e contra um policial britânico que também foi contaminado, e uso e posse de Novichok, uma substância neurotóxica potente desenvolvida na União Soviética.

Hospitalizados em estado crítico, Sergei e Yulia Skripal conseguiram sobreviver após passar várias semanas em tratamento intensivo em um hospital.

O caso gerou grande comoção internacional e se transformou em um conflito diplomático entre a Rússia e as potências ocidentais. Desde o início, as autoridades russas negam categoricamente qualquer envolvimento neste caso.

No fim de junho, Charlie Rowlie e Dawn Sturgess, um casal britânico, foram intoxicados com a mesma substância perto da cidade de Amesbury. Ela estava em um frasco de perfume encontrado por eles em uma lata de lixo.

Sturgess, de 44 anos, morreu no dia 8 de julho por causa da intoxicação, enquanto seu parceiro recebeu alta. Segundo Theresa May, Petrov e Boshirov também são suspeitos por este segundo envenenamento.

(Com AFP)