Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Rússia pede que resultado do referendo no leste ucraniano seja respeitado

Em Kiev, presidente interino ucraniano afirma que a votação foi uma farsa sem efeitos legais. Operação militar em regiões separatistas prossegue

A Rússia afirmou nesta segunda-feira que respeita o resultado dos referendos de independência no leste da Ucrânia e defendeu o diálogo entre Kiev e as regiões separatistas do país. “Em Moscou, respeitamos a expressão da vontade dos cidadãos das regiões de Donetsk e Lugansk, e partimos do princípio de que a aplicação do resultado dos referendos acontecerá de maneira civilizada, sem mais violência, por meio do diálogo entre os representantes de Kiev, Donetsk e Lugansk”, afirmou o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov.

“Todos os esforços de mediação são bem-vindos para colocar em prática este diálogo, incluindo os da OSCE” [Organização para a Segurança e a Cooperação na Europa], completa uma nota emitida pela presidência russa. O Kremlin destacou ainda a “elevada participação, apesar das tentativas de impedir a votação” nos referendos de domingo. “Condenamos o uso da força, como o emprego de armas pesadas contra cidadãos pacíficos”, acrescentou Moscou.

Leia também

Separatistas do leste da Ucrânia afirmam que cerca de 90% votaram pela independência

Referendo na Ucrânia: guardas abrem fogo contra multidão

Putin: ‘Crimeia sempre foi parte da Rússia’

Também nesta segunda, falando no Parlamento, o presidente interino da Ucrânia, Olexander Turchinov, chamou de “farsa sem efeitos jurídicos” o referendo de independência celebrado no domingo pelos separatistas pró-Rússia no leste do país. Para Turchinov, “a farsa que os terroristas denominam de referendo é apenas um disfarce propagandístico dos assassinatos, sequestros, violência e outros crimes graves”.

As autoridades de Kiev “continuarão dialogando com aqueles que no leste da Ucrânia não têm as mãos manchadas de sangue e estão dispostos a defender seus objetivos de maneira legal”, afirmou o presidente interino ucraniano. O único “efeito legal” do referendo é levar à Justiça os que o convocaram, disse Turchinov. Os insurgentes pró-Rússia do leste da Ucrânia reivindicaram no domingo a vitória maciça do “sim” à independência na região de Donetsk, com 89,07% dos votos a favor da separação. Na região de Lugansk, mais de 94% dos eleitores votaram a favor da independência da Ucrânia. (Continue lendo o texto)

A comissão eleitoral da autoproclamada “República Popular de Lugansk” anunciou os resultados preliminares após a apuração dos votos emitidos em 28 das 32 circunscrições eleitorais do território, segundo informou a imprensa local. Também faltam apurar os votos emitidos pelos eleitores recenseados em Lugansk, mas que moram em Moscou. “Em resumo, a votação foi válida”, destacou Aleksandr Malijin, chefe da comissão eleitoral local. Os resultados oficiais definitivos serão divulgados ainda hoje. No total, mais de 81% dos habitantes de Lugansk foi às urnas.

Explosões – Várias detonações foram registradas na manhã desta segunda-feira em Slaviansk, reduto rebelde na província de Donetsk. A operação militar iniciada por Kiev em 2 de maio contra os separatistas também teve prosseguimento na localidade de Andriivka, cidade próxima a Slaviansk, informou o Exército ucraniano.

(Com agências France-Presse e EFE)

Entenda a atual situação dos conflitos nas cidades ao leste da Ucrânia: