Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Rússia finca bandeira em Bakhmut e Ucrânia debocha de símbolo ‘vazio’

Porta-voz ucraniano afirmou que as forças russas colocaram uma bandeira não no prédio administrativo da cidade, mas sobre 'algum tipo de banheiro'

Por Da Redação
3 abr 2023, 11h26

As Forças Armadas da Ucrânia declararam que seus soldados entraram em um combate com a Rússia ao redor do prédio administrativo de Bakhmut nesta segunda-feira, 3. Kiev também debochou de Moscou que, após fincar uma bandeira no território, declarou que mercenários capturaram a cidade.

A batalha por Bakhmut é uma das mais sangrentas do conflito. Com muitas baixas de ambos os lados, grande parte da cidade oriental destruída por bombardeios.

O chefe da força mercenária Wagner, que liderou a campanha do Kremlin para cercar e capturar a cidade, disse no domingo 2, que seus combatentes hastearam uma bandeira russa no prédio administrativo no centro da cidade. Porém, segundo um porta-voz ucraniano, os russos levantaram a bandeira da vitória não sobre o prédio, mas sobre “algum tipo de banheiro”.

Em um vídeo no Telegram, Yevgeny Prigozhin reconheceu que os ucranianas ainda mantinham algumas posições, mas que, “do ponto de vista legal, Bakhmut foi tomada”. Prigozhin é conhecido por fazer declarações prematuras.

O porta-voz do comando militar do leste ucraniano, Serhiy Cherevatiy, disse que a alegação russa de ter capturado a cidade é falsa. Confrontos ainda estariam ocorrendo em torno do prédio do conselho da cidade.

Continua após a publicidade

+ Rússia prende suspeita de ataque a evento pró-guerra em São Petersburgo

“Bakhmut é ucraniana. Eles não capturaram nada e estão muito longe de fazer isso, para dizer o mínimo”, disse Cherevatiy à agência de notícias Reuters. “Eles hastearam a bandeira sobre algum tipo de banheiro. Penduraram seus trapos e disseram que haviam capturado a cidade. Muito bem, deixe-os pensar que a tomaram.”

Anteriormente, autoridades da Ucrânia disseram que os russos estavam atacando a cidade, mas seu exército estava resistindo. No domingo, o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, agradeceu aos soldados que lutam em Bakhmut, Avdiivka e Maryinka. “Especialmente Bakhmut. É especialmente quente lá”, afirmou.

O analista militar ucraniano Oleh Zhdanov disse que os combates tomaram conta do centro de Bakhmut. Segundo ele, soldados ucranianos repeliram 25 ataques inimigos, mas as forças russas capturaram uma usina de metal.

Continua após a publicidade

“O inimigo está atacando o centro da cidade pelo norte, leste e sul e está tentando tomar a cidade sob seu controle total”, disse Zhdanov.

Moscou está buscando uma vitória em Bakhmut para dar novo impulso à sua ofensiva de inverno. Já Kiev disse que está planejando sua própria contra-ofensiva, com ajuda dos tanques ocidentais recém-entregues e outros equipamentos. Os ucranianos enfatizaram a importância de manter Bakhmut e infligir perdas ao inimigo.

+ Cessar-fogo na Ucrânia não condiz com objetivos russos, diz Moscou

Enquanto isso, o embaixador de Moscou em Minsk disse que os russos vão mover armas nucleares para perto das fronteiras ocidentais de Belarus. As armas “aumentarão as possibilidades de garantir a segurança”, disse Boris Gryzlov à televisão estatal de Belarus. “Isso será feito apesar de protestos da Europa e Estados Unidos.”

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.