Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Rússia diz que entrada de Finlândia e Suécia na Otan ‘terá consequências’

Segundo o Ministério das Relações Exteriores russo, a decisão é um 'erro grave' que vai aumentar a tensão militar na região

Por Da Redação Atualizado em 16 Maio 2022, 10h50 - Publicado em 16 Maio 2022, 08h31

O vice-ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Ryabkov, afirmou nesta segunda-feira, 16, que a adesão da Finlândia e da Suécia à Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) seria um “erro grave” com “consequências de longo alcance”, segundo a agência de notícias estatal TASS. Enquanto isso, o presidente russo, Vladimir Putin, disse que a medida “certamente provocará nossa resposta”.

“Qual resposta será… Veremos quais ameaças são criadas para nós. Problemas estão sendo criados sem nenhum motivo e vamos reagir de acordo”, afirmou ele em reunião da Organização do Tratado de Segurança Coletiva, aliança militar semelhante à Otan que congrega seis ex-Estados soviéticos.

No domingo 15, o governo da Finlândia sinalizou sua intenção de ingressar na aliança militar, deixando para trás décadas de neutralidade e ignorando as ameaças russas de retaliação. A decisão foi tomada em meio a esforços da nação de tentar fortalecer sua segurança frente à guerra na Ucrânia.

O partido que governa a Suécia disse, também no domingo, que seguirá a Finlândia na adesão à Otan.

“Eles não devem ter ilusões de que simplesmente vamos tolerar isso”, disse Ryabkov, segundo a TASS, chamando a decisão de ambos os países de “outro erro grave com consequências de longo alcance”.

Continua após a publicidade

A adesão da Finlândia à Otan – que provavelmente ainda levará meses para se concretizar – traria a aliança militar liderada pelos Estados Unidos à porta da Rússia, já que as duas nações compartilham uma fronteira de 1.335 quilômetros.

+ A caminho da extinção, Otan recupera relevância em meio à guerra

“O fato de que a segurança da Suécia, como a da Finlândia, não será reforçada como resultado desta decisão, é completamente óbvio para nós”, disse Ryabkov, segundo a TASS.

“O nível geral de tensão militar aumentará e haverá menos previsibilidade nesta área. É uma pena que o bom senso esteja sendo sacrificado por ideias fantasmas sobre o que deve ser feito na situação atual”, completou o vice-ministro das Relações Exteriores.

+ Rússia ameaça enviar armas nucleares ao Báltico por adesões à Otan

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)