Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Reino Unido vai reabrir uma de suas mais antigas ‘instituições’: os pubs

Restaurantes, hotéis e salões de beleza também retomam as atividades; clientes deverão interagir de forma mais segura e restrita

Por Amanda Péchy Atualizado em 23 jun 2020, 17h05 - Publicado em 23 jun 2020, 16h34

É hora de fazer um brinde! O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, disse na terça-feira, 23, que os tradicionais pubs ingleses serão reabertos. De portas fechadas há exatos três meses, devido às restrições para conter a pandemia de coronavírus, os ingleses poderão voltar pedir pints de cerveja no balcão a partir do dia 4 de julho. Os mais de 50.000 pubs contam com a clientela assídua para ressurgir das cinzas no início do mês que vem. Nada menos que 8 em cada 10 adultos britânicos se consideram frequentadores contumazes dos simpáticos bares.

“Hoje podemos dizer que nossa longa hibernação nacional está começando a chegar ao fim”, disse Johnson ao parlamento, ciente de que a liberação pode angariar alguns pontos de popularidade, depois de uma condução vacilante do isolamento social na pandemia.

Johnson incentivou a população a retomar a tradição britânica de beber uma cerveja, pedindo às pessoas que saiam e desfrutem da recém-conquistada liberdade, mas insistiu que era preciso agir com responsabilidade. Um parlamentar perguntou se as pessoas deveriam ser “patriotas para o Reino Unido” voltando aos pubs. O premiê disse que “encorajava” a atividade.

ASSINE VEJA

Acharam o Queiroz. E perto demais Leia nesta edição: como a prisão do ex-policial pode afetar o destino do governo Bolsonaro e, na cobertura sobre Covid-19, a estabilização do número de mortes no Brasil
Clique e Assine

Frequentadores dos pubs, no entanto, terão de se adaptar a algumas novas regras. Os bares e restaurantes poderão operar tanto em ambientes abertos quanto fechados, de acordo com o que o governo chama de “segurança-Covid”. Os clientes não precisam utilizar máscaras, mas o contato com funcionários deverá ser limitado. Os frequentadores estão proibidos de sentar-se lado a lado no balcão, ao estilo Trainspotting e terão de se render-se ao serviço de mesa – alguns argumentam que a essência do pub pode ser ferida. Pub é a abreviação de “public house”, designa um ambiente com um apelo comunitário.

Os encontros também estão mais restritos. Amigos ou familiares só podem sentar-se juntos às pessoas que moram em uma única casa diferente. Não pode haver, por exemplo, mesas compostas por pessoas que morem em três casas diferentes. Para a regra ser cumprida, os proprietários deverão verificar a identidade dos clientes, mas não está claro como eles vão fazer para saber quem mora onde. A boa notícia é que a distância entre os frequentadores, que era de dois metros , caiu pela metade. A paquera agradece.

Em outros sinais de um retorno gradual à vida normal, os restaurantes, hotéis, salões de cabeleireiro, além de atrações turísticas, como parques temáticos também poderão retomar as atividades. Por enquanto, boates, academias e piscinas permanecem fechadas.

Continua após a publicidade

Pressão sobre Johnson

O primeiro-ministro britânico tem sido pressionado por empresas, especialmente do setor de hoteleiro, e por membros de seu Partido Conservador, para relaxar as restrições. Antes contra o lockdown, temeroso de ferir profundamente a economia, o premiê mudou de postura depois e de contrair Covid-19 e passou resistir aos apelos de abertura, por medo de provocar uma segunda onda da pandemia. Contudo, nesta terça-feira, Johnson afirmou que as taxas de infecção em queda e o baixo risco de ressurgimento da Covid-19 tornaram possível reabrir mais serviços não essenciais.

O Reino Unido tem um dos mais altos números de mortes pela Covid-19 no mundo, mas o número de casos tem diminuído constantemente. Autoridades de saúde informaram que, na segunda-feira 22, houve apenas 15 novas mortes – o menor aumento desde meados de março. Mas o primeiro ministro alertou que o lockdown pode ser reintroduzido se houver uma segunda onda da doença.

Os empresários receberam a notícia com cautela. Adam Marshall, diretor geral das Câmaras de Comércio Britânicas, disse: “Ainda estamos longe do normal. Esforços mais amplos para aumentar a confiança dos negócios e do consumidor ainda serão necessários para ajudar as empresas a sair dessa crise.”

Há séculos, os tradicionais pubs ingleses abrigam a tradição de tomar uma cerveja antes de voltar para casa, ao fim do trabalho. Pubs de bairro costumam ser cenário de confraternizações entre colegas, amigos e familiares no happy hour. Foi no famoso Cavern Club, pub situado em Liverpool, por exemplo, que os Beatles começaram a sua carreira. A reabertura de uma das suas mais antigas instituições britânicas indica que a vida pode estar começando a voltar ao normal. Na medida do possível, of course!

(Com Reuters)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)