Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Rainha Elizabeth II confirma referendo sobre permanência da Grã-Bretanha na UE

Em seu discurso anual de abertura dos trabalhos do Parlamento, a monarca reforçou o compromisso de eliminar o déficit orçamentário do país e de ajudar os trabalhadores

Por Da Redação
Atualizado em 5 jun 2024, 02h37 - Publicado em 27 Maio 2015, 15h20

A rainha Elizabeth II, da Grã-Bretanha, apresentou em um discurso nesta quarta-feira a agenda legislativa do recém-eleito novo governo do Partido Conservador. O pronunciamento confirmou os planos para um referendo sobre a permanência do país na União Europeia e a concessão de poderes adicionais ao Executivo no combate contra o terrorismo. No discurso, que reabriu oficialmente o Parlamento britânico após as eleições gerais deste mês, a rainha leu a lista de projetos de lei que o governo do primeiro-ministro David Cameron tentará aprovar durante os próximos meses. “Serão apresentadas leis para convocar um referendo de permanência na União Europeia até o fim de 2017”, disse Elizabeth II. O texto de lei será publicado na quinta-feira e a Câmara dos Comuns pode começar a debatê-lo no próximo mês, deixando a porta aberta para uma votação a partir do próximo ano.

Leia também:

Vitória de Cameron desperta fantasma de saída da Grã-Bretanha da UE

Príncipe Charles tem encontro histórico com dirigente do Sinn Fein

Cameron, que tem afirmado que gostaria que a Grã-Bretanha permanecesse em uma União Europeia reformada, vem sendo pressionado para dar mais detalhes sobre quando o referendo será realizado e quais mudanças ele quer na UE. O premiê diz que espera o referendo até o fim de 2017, mas a data pode ser antecipada se as mudanças na UE forem feitas antes. Entre quinta e sexta-feira o primeiro-ministro visitará quatro cidades europeias para discutir as reformas na UE com líderes que incluem o presidente da França, François Hollande, e a chanceler da Alemanha, Angela Merkel.

Continua após a publicidade

Outros projetos de lei importantes também estão na agenda do Parlamento, como uma medida de extensão dos poderes da polícia convencional para reprimir a ação de possíveis extremistas. Um compromisso para reforçar as medidas de austeridade visando eliminar o ainda grande déficit orçamentário do país também foi anunciado. Em seu primeiro mandato, o governo Conservador cortou pela metade o déficit, que correspondia a 10,2% da economia no ano fiscal de 2010.

Leia também:

Cartas privadas do príncipe Charles são publicadas

Nigel Farage renuncia após derrota nas eleições da Grã-Bretanha

Continua após a publicidade

Cercada de pompa, a rainha, com coroa e sentada no trono da Câmara dos Lordes, lê uma vez ao ano o discurso preparado pelo governo no qual são esboçados os principais planos para o período. “Meu governo vai legislar nos interesses de cada um em nosso país”, declarou a monarca, de 89 anos. “Vou adotar uma abordagem de nação única, ajudando os trabalhadores a seguirem adiante, apoiando ambições, dando novas oportunidades para os mais desprotegidos e unindo diferentes partes do nosso país”, prometeu.

História – A tradição do discurso da rainha remonta a 1536 e está cercada de um protocolo simbólico, moldado para enfatizar o poder real. Elizabeth II percorre a distância entre o Parlamento e o Palácio de Buckingham em uma carruagem dourada e pronuncia o discurso no trono da Câmara dos Lordes, ao lado de seu marido, Philip de Edimburgo. Durante o discurso, um deputado permanece ‘refém’ no Palácio de Buckingham, para garantir que a soberana, de 89 anos, volte sã e salva. O pronunciamento desta quarta-feira foi o 62º discurso parlamentar de Elizabeth II.

(Da redação)

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.