Clique e assine a partir de 8,90/mês

‘Racismo é veneno’, afirma Merkel após ataque de extrema direita

Ao menos dez pessoas morreram depois que homem armado abriu fogo contra bares destinados ao uso de narguilé na cidade de Hanau

Por Da Redação - Atualizado em 20 fev 2020, 11h00 - Publicado em 20 fev 2020, 10h36

A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, afirmou nesta quinta-feira, 20, que os ataques a tiros que deixaram dez mortos no dia anterior na cidade de Hanau, no oeste do país, foram provavelmente motivados por racismo e ideologia de extrema direita.

“Racismo é veneno. Ódio é veneno. Este veneno está presente na nossa sociedade e já é responsável por crimes demais”, afirmou a chanceler a repórteres nesta quinta. Merkel revelou que as investigações iniciais indicam que o atirador tinha motivações de extrema direita e racistas, com “ódio contra pessoas de outra origem, de outra religião e de outra aparência”.

Ao condenar o “terrível” ataque, Merkel ressaltou que o governo alemão trabalha para defender “os direitos e a dignidade” de “todas as pessoas no país”.

“Nós não diferenciamos por origem ou religião. Nós confrontamos aqueles que tentam dividir a Alemanha com toda a nossa força e determinação”, frisou a governante ao se solidarizar com parentes e amigos das vítimas e desejar uma pronta recuperação aos feridos pelas consequências “físicas e psicológicas” do ataque.

A Procuradoria-Geral da Alemanha assumiu o caso ocorrido na noita passada devido à suspeita de se tratar de um atentado terrorista. O suposto autor do ataque, um alemão de 43 anos de extrema direita com uma licença de porte de arma, atacou dois estabelecimentos comerciais, disparando indiscriminadamente, deixando nove mortos e cinco gravemente feridos.

Continua após a publicidade

O alvo do ataque foram dois bares destinados ao uso de narguilé. Entre os mortos estavam cinco turcos, segundo a agência de notícias Anadolu.

O suspeito foi encontrado sem vida, junto ao corpo da mãe, em casa nesta madrugada. As autoridades acreditam que ele possa ter matado a própria mãe antes de cometer suicídio. As forças de segurança encontraram munição no veículo que foi usado para a locomoção entre os ataques.

O autor do ataque

O atirador foi identificado pela imprensa americana como Tobias Rathjen, um alemão de 43 anos. O autor do ataque postou um vídeo nas redes sociais alguns dias antes do ataque em que fala sobre teorias da conspiração de extrema direita.

Segundo o jornal alemão Bild, Rathjen também teria deixado uma carta de confissão de 24 páginas. Na mensagem ele fala, entre outras coisas, da necessidade de destruir certas comunidades da Alemanha. 

(Com EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade