Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Putin: Rússia Unida obteve ‘maioria estável’ nas eleições

Bancada do partido perdeu 77 deputados, com 15 milhões a menos de votos

O primeiro-ministro russo, Vladimir Putin, afirmou nesta terça-feira que o partido governista Rússia Unida (RU), liderado por ele, obteve uma “maioria estável” nas eleições parlamentares do domingo. Nas eleições de domingo, o RU recebeu quase 15 milhões de votos menos do que há quatro anos, por isso sua bancada será reduzida em 77 deputados, com a consequente perda da maioria constitucional de dois terços.

“O Rússia Unida conseguiu a maioria, uma maioria estável”, disse o chefe do governo em reunião com funcionários da legenda, segundo as agências russas.

Perdas – De acordo com os últimos dados oficiais, o partido governista conseguiu 238 das 450 cadeiras da Duma, a Câmara Baixa do Parlamento russo. “Sim, há perdas, e estas são inevitáveis”, admitiu Putin, que em 27 de novembro foi proclamado candidato do RU à chefia do estado, cargo que já exerceu entre 2000 e 2008, nas eleições de março do ano que vem.

Putin ressaltou que as perdas eleitorais “são inevitáveis para qualquer força política e mais ainda para uma que há vários anos tem a responsabilidade pela situação no país”. “É um bom resultado nas atuais condições. Sabemos o que ocorre em países com uma situação econômica e social que até há muito pouco tempo parecia muito estável e onde agora milhões de pessoas saem às ruas”, avaliou o primeiro-ministro.

Segundo ele, o RU deve reagir com rapidez aos problemas dos cidadãos e lutar contra a corrupção, “sem se importar com os clichês”. “Trata-se de clichês que não se referem a um partido político concreto. Dizem que o partido no poder é uma legenda vinculada ao roubo e à corrupção. E se lembrarmos daqueles que estiveram no poder nos tempos soviéticos? Todos eles eram chamados de ladrões e corruptos”, disse.

Oposição – A oposição radical batizou o Rússia Unida como o “partido de sem-vergonhas e ladrões”, termo adotado por outros setores opositores, que foram unânimes em denunciar graves irregularidades nas eleições de domingo. Gennady Ziuganov, o líder do Partido Comunista, a segunda legenda mais votada, denunciou que os resultados foram forjados para favorecer o RU. Segundo o dirigente opositor, o governo teve atribuídos até 15% a mais de votos do que o obtido nas urnas. As denúncias motivaram protestos que resultaram na prisão de 300 manifestantes na segunda-feira, inclusive do líder opositor russo Ilia Yashin.

(Com agência EFE)