Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Príncipe William se encontra com presidente chinês

O príncipe britânico é o principal membro da família real a visitar o país asiático desde 1986, quando a rainha Elizabeth II lá esteve

Por Da Redação 2 mar 2015, 09h41

O príncipe William, da Grã-Bretanha, reuniu-se nesta segunda-feira com o presidente da China, Xi Jinping, e, depois, visitou a Cidade Proibida de Pequim, antiga residência das dinastias imperiais chinesas. William é o principal integrante da família real britânica a viajar para a China desde 1986, ano da última visita da rainha Elizabeth II e de seu marido, o príncipe Philip.

A visita de William tem como objetivo melhorar as relações da Grã-Bretanha com a China, afetadas pelas manifestações pró-democracia de 2014 em Hong Kong, ex-colônia britânica. Na época, diversas autoridades britânicas se posicionaram ao lado dos estudantes que protestavam nas ruas de Hong Kong – fato que desagradou o governo chinês.

Leia também

Milionário é executado por assassinato na China

China confisca papel higiênico com imagem de político de Hong Kong

Xi recebeu de maneira efusiva o príncipe William, o segundo na linha de sucessão da coroa britânica. O presidente chinês parabenizou William, de 32 anos, que em abril será pai pela segunda vez. Também enviou saudações a Kate, esposa do príncipe, que não acompanha o príncipe na viagem por estar grávida. “A família real tem uma grande influência não apenas na Grã-Bretanha, e sim em todo o mundo”, afirmou Xi, que deve retribuir a visita no final do ano.

“Há muitos anos eu tinha o interesse de viajar a China”, disse William, que foi recebido por Xi no Grande Palácio do Povo de Pequim. Depois de Pequim, William visitará Xangai, a capital econômica da China, e um santuário de elefantes na província de Yunnan, sudoeste do país. Antes de iniciar a viagem, o príncipe britânico enviou aos chineses uma saudação em mandarim para desejar um Feliz Ano Novo Lunar.

O pai de William, o príncipe Charles, o primeiro na linha de sucessão ao trono, nunca visitou a China continental, apesar de ter sido o representante da coroa nas cerimônias de devolução de Hong Kong, em 1996.

(Da redação)

Continua após a publicidade
Publicidade