Premiê japonês vai renunciar em agosto, diz parlamentar

Naoto Kan sairá após aprovação de um orçamento extra para cobrir dívidas

Por Da Redação - 21 jun 2011, 21h50

O primeiro-ministro do Japão, Naoto Kan, deve renunciar até o fim de agosto, assim que garantir a aprovação no Parlamento de um segundo orçamento extra para o governo cobrir as dívidas de 2011, afirmou nesta terça-feira uma importante fonte do partido governista, segundo a agência Kyodo. Além do orçamento extra, o premiê espera a aprovação de uma lei que obriga o governo a emitir títulos para cobrir suas dívidas .

O Partido Democrático do Japão (PDJ), liderado por Kan, e importantes siglas da oposição finalmente chegaram a um acordo para o momento da renúncia, após semanas de divergências, afirmou à Kyodo um graduado parlamentar, que pediu anonimato.

O partido de Kan e o Partido Novo Komeito concordaram com um terceiro orçamento extra para o ano fiscal que começa em abril. Esse novo orçamento será muito maior que os anteriores, a fim de financiar a reconstrução de áreas duramente atingidas pelo terremoto seguido de tsunami ocorridos em 11 de março.

Moção – Em dois de junho, Naoto Kan havia sobrevivido a uma moção de censura, apresentada pela oposição, por sua gestão na crise de 11 de março. Se tivesse prosperado, a moção, rejeitada por 293 votos contra 152, derrubaria o governo de Kan. Antes da votação, o premiê anunciou que renunciará a seu cargo assim que estiver encaminhado o processo de reconstrução das zonas assoladas pela catástrofe de março.

Publicidade

(Com agência Estado)

Publicidade