Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Premiê italiano conquista voto de confiança e coalizão sobrevive

Vitória do governo Enrico Letta ocorre pós recuo de Silvio Berlusconi em tentativa de forçar novas eleições

O primeiro-ministro italiano Enrico Letta conseguiu salvar seu governo nesta quarta-feira, ao ganhar um voto de confiança do Senado. Letta conquistou 235 votos a favor da manutenção da coalizão governista, muito mais do que o necessário, entre os 321 membros da Casa. Só setenta senadores votaram contra – houve ainda catorze abstenções e uma ausência. O resultado da votação era esperado depois que o ex-premiê e senador Silvio Berlusconi recuou de sua manobra para derrubar o governo e anunciou que os membros da sigla chefiada por ele, o partido Povo da Liberdade (PdL), apoiaram Letta.

Leia também:

Berlusconi diz que vai continuar na política mesmo se for cassado

Comissão aprova primeiro passo para cassação de Berlusconi

Berlusconi afirmou ter tomado tal decisão depois de ter sido convencido por um discurso de Letta, que afirmou que a dissolução do governo – no poder há apenas cinco meses – e a consequente convocação de novas eleições seriam “fatais” para a recuperação econômica do país. Na realidade, porém, o bilionário vinha sendo criticado até mesmo por aliados por ter sabotado o governo, ao ordenar, no sábado, que cinco filiados do PdL que atuavam como ministros de Letta entregassem seus cargos.

A medida acabou precipitando o pedido de voto de confiança por parte de Letta. Nos dois últimos dias, Berlusconi chegou a pedir aos membros dos PdL para que votassem contra o primeiro-ministro, mas a jogada foi mal vista entre vários membros do partido. Um grupo de vinte senadores chegou a ameaçar formar um grupo dissidente caso Berlusconi prosseguisse com seu plano.

A ordem do chefe político veio dias antes de o Senado submeter à votação um pedido de cassação do seu mandato por causa de uma condenação por fraude fiscal, e a manobra contra Letta foi vista como uma chantagem ou vingança relacionada com o caso.

A manutenção de Letta no governo e a rebeldia dos membros da sigla de Berlusconi podem significar que a influência do “Il Cavaliere” – que já governou a Itália em três ocasiões e tem sido uma presença dominante na política do país nos últimos 20 anos – possa finalmente estar entrando em declínio.

Nos últimos meses, Berlusconi também enfrentou uma série de problemas legais, como a condenação por fraude fiscal, que pode lhe custar a cadeira no Senado, além de acusações de praticar sexo com uma prostituta menor de idade. Na sexta-feira, o mesmo Senado que garantiu a manutenção do governo Letta vai votar o pedido de cassação do mandato de Berlusconi.