Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Polícia prende homens que estupraram turista americana na Índia

Autoridades encontraram os três suspeitos de violentar a mulher de 31 anos no norte do país

A polícia indiana informou ter prendido, nesta quinta-feira, os três homens acusados de estuprar uma turista americana em um estado do norte do país, na última terça-feira. A mulher de 31 anos foi atacada por um caminhoneiro e outros dois homens após aceitar uma carona de volta para o seu hotel. Ela havia visitado um popular templo budista em Manali, uma localidade ao pé do Himalaia e a 500 quilômetros de Nova Délhi, e não tinha encontrado um táxi para retornar ao local em que estava hospedada.

Leia também:

Morre no hospital menina estuprada e torturada na Índia

Parlamento da Índia aprova legislação mais severa contra estupro

Índia: seis detidos por estupro de turista suíça vão à justiça

As provas recolhidas em um veículo foram encaminhadas para a perícia determinar a real participação dos suspeitos no ataque. O superintendente da polícia local, Vinod Kumar Dhawan, disse à CNN que os três acusados são jovens na faixa etária dos 20 anos. Eles foram presos um dia após as autoridades terem libertado outros três homens que não foram reconhecidos pela vítima. Ela permanece sob a proteção de um agente policial e não conseguiu dar mais detalhes sobre a aparência dos bandidos ou as características do caminhão que eles dirigiam.

O estupro da turista americana foi revelado um dia depois de a polícia de Calcutá (no leste do país) ter anunciado a detenção de um empresário local como suspeito de ter drogado e violentado uma irlandesa de 21 anos que trabalhava para uma associação de caridade.

Saiba mais:

Estupro coletivo de jovem incentiva transformação na Índia

Histórico – No dia 16 de dezembro, cinco homens e um menor de 17 anos estupraram, agrediram e torturaram uma estudante de 23 anos em um ônibus. A vítima e o namorado foram jogados do veículo após os crimes. Levada para um hospital de Singapura depois de passar por várias cirurgias na Índia, a estudante morreu em 29 de dezembro. O caso provocou uma profunda comoção na Índia, onde houve uma série de protestos contra abusos sexuais.