Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Polícia do Iêmen abre fogo contra manifestantes e fere 14

Opositores do presidente Saleh voltaram às ruas para pedir o fim do regime

Por Da Redação 11 mar 2011, 18h16

A polícia do Iêmen abriu fogo nesta sexta-feira contra manifestantes contrários ao governo do presidente Ali Abdullah Saleh, na cidade de Aden, no sul do Iêmen. Pelo menos 14 pessoas ficaram feridas. A ação ocorre um dia após o líder oferecer uma proposta de reforma política.

Apesar das promessas de Saleh de proteger os manifestantes, as forças de segurança usaram gás lacrimogêneo e munição para dispersar milhares de pessoas que marchavam até o bairro de Khor Maksar, exigindo mudanças no governo e a renúncia do presidente. A polícia havia isolado a área, onde ficam diversos consulados.

Funeral – Na capital do país, uma multidão compareceu ao funeral de um manifestante que havia sido atingido por tiros na última quarta-feira, quando a polícia atacou estudantes que se manifestavam perto da Universidade de Sanaa.

“Nós pedimos ao presidente Saleh que ouça as demandas dos manifestantes em todas as províncias”, disse Abdul Wahab al-Dulaimi, que liderou as orações desta sexta para os estudantes. Partidários do presidente foram até a Praça Tahrir, perto dali, e se depararam com bloqueios, montados pela polícia, para evitar que os dois grupos se encontrassem.

Reivindicações – Os manifestantes pedem que Saleh, no poder desde 1978, renuncie, mesmo após ele fazer diversas concessões. Na última quinta-feira, o presidente prometeu um referendo sobre uma nova Constituição que iria devolver poder ao Parlamento, mas a oferta foi rapidamente rejeitada pela oposição.

Entenda as manifestações no mundo árabe:

infográfico relação países árabes
infográfico relação países árabes VEJA

(Com Agência Estado)

Continua após a publicidade
Publicidade