Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Partido islâmico indica ministro para premiê da Tunísia

Hamadi Jebali renunciou no início da semana, após não ter conseguido formar um governo de tecnocratas, e deve ser sucedido pelo engenheiro Ali Larayedh

O ministro tunisiano do Interior, Ali Larayedh, será indicado por seu partido, o islamita Ennahda, como candidato a primeiro-ministro, informou Mouadh Ghannouchi, filho do líder do movimento islâmico, Rached Ghannouchi. “Ele é oficialmente o candidato do Ennahda”, disse, acrescentando que seu pai e Ali Larayedh devem se reunir com a Presidência para submeter a candidatura.

Em VEJA: Na Tunísia, repressão do estado policialesco dá lugar à coação religiosa

Rached Ghannouchi também escreveu o anúncio em sua página do Facebook, mas o chefe de estado Moncef Marzouki ainda precisa aceitar a nomeação para que o atual ministro do Interior possa formar o governo da Tunísia. Ali Larayedh e o chefe do Ennhada já posaram para fotógrafos na casa da família de Ghannouchi, mas não fizeram nenhuma declaração oficial.

O primeiro-ministro Hamadi Jebali renunciou no início desta semana depois de não conseguir formar um governo de tecnocratas. A iniciativa tinha como objetivo tirar o país de sua pior crise política desde a revolta popular iniciada em janeiro de 2011 e o assassinato do opositor antiislamita Chokri Belaid, em 6 de fevereiro.

Reinaldo Azevedo: Um bom governo islâmico só será bom se deixar de ser islâmico

Laraydeh, um engenheiro naval de 58 anos, passou 15 anos preso durante o regime do deposto Zine El Abidine Ben Ali e tornou-se ministro do Interior após a revolução de 2011. O Ennahda já prometeu que vai construir a coalizão mais ampla possível para tirar o país da crise política em que está imerso.

(Com agência France-Presse)