Clique e assine com até 92% de desconto

Parlamento da Catalunha adia eleição de Puigdemont

Mesmo com ameaças de Madri, partidos separatistas continuam a apoiar a candidatura do ex-líder

Por Da redação Atualizado em 30 jan 2018, 09h21 - Publicado em 30 jan 2018, 09h03

O presidente do Parlamento da Catalunha, Roger Torrent, afirmou que a votação para escolha do novo líder da região, prevista para esta terça-feira, foi adiada, mas insistiu que o ex-líder Carles Puigdemont, que está em um autoexílio em Bruxelas, é o único candidato viável para comandar a região.

“A sessão de hoje foi adiada, mas não está cancelada sob nenhuma circunstância… outro candidato não será apresentado”, disse Torren em entrevista coletiva. A sessão plenária está suspensa até que se possa assegurar um debate “efetivo e com garantias”, dada a situação judicial do candidato, perseguido na Espanha, completou o presidente do Parlamento.

O primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, reiterou mais cedo nesta terça que Puigdemont não pode ser candidato uma vez que está em autoexílio desde que um mandado de prisão contra ele foi emitido pela Justiça espanhola devido a uma declaração de independência da Catalunha no final de outubro.

  • O Tribunal Constitucional espanhol também estipulou que Puigdemont só poderá tomar posse se estiver presente no Parlamento e depois de obter uma autorização do juiz que o investiga por suposta sedição e rebelião.

    As forças independentistas conquistaram maioria absoluta no Parlamento autônomo após as eleições de 21 de dezembro, mesmo após a tentativa do governo espanhol de parar o movimento separatista com a dissolução da Casa em outubro.

    O Parlamento decidiu apoiar Puigdemont como candidato à Presidência regional, mesmo que ele tenha que tomar posse à distância, em uma vídeo chamada. Na semana passada, Torren validou a candidatura do ex-líder oficialmente.

    (Com Reuters e EFE)

    Continua após a publicidade
    Publicidade