Clique e assine a partir de 8,90/mês

Papa nomeia seis mulheres para supervisionarem as finanças do Vaticano

Novas integrantes do Conselho de Economia assumem num momento em que a Santa Sé passa por uma crise financeira devido a pandemia de Covid-19

Por Da Redação - 6 ago 2020, 16h58

Nesta quinta-feira, 6, o papa Francisco apontou, pela primeira vez na história, seis mulheres, incluindo a ex-ministra dos Transportes do Reino Unido, Ruth Kelly, para o Conselho de Economia para supervisionarem as finanças do Vaticano. O cargo é um dos mais importantes da Santa Sé.

O Conselho de Economia foi criado por Francisco em 2014. Composto por 15 membros, oito deles indicados por cardeais e bispos. Os últimos sete são especialistas de diferentes nações, de acordo com informações do site Vatican News.

As outras nomeadas são a britânica Lesile Jane, as alemãs Charlotte Kreuter e Marija Kolak, e as espanholas Maria Concepcion e Eva Castillo. Todas possuem histórico com o mercado de finanças, em bancos e em instituições financeiras.

A ex-ministra britânica ocupou a pasta entre 2007 e 2008 durante o governo do ex-primeiro-ministro trabalhista Gordon Brown. Renunciou ao cargo e disse que queria passar mais tempo com família.

As nomeações ocorrem num momento em que o Vaticano passa por uma crise financeira devido a pandemia de Covid-19. Durante os meses que a cidade histórica ficou fechada a visitantes, as receitas da Santa Sé se esgotaram, uma vez que o dinheiro gerado pelo turismo era a principal fonte de arrecadação.

O religioso argentino é considerado um papa progressista. Em diversas ocasiões, Francisco desafiou a ala conservadora da Igreja Católica ao nomear mulheres para cargos de importância e alterar políticas que considerava como atrasadas para a Igreja.

Continua após a publicidade
Publicidade