Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Padre italiano é condenado a 4 anos de prisão por prostituição de menor

Antonello Tropea se envolveu com jovens através de redes sociais e salas de bate-papo online voltadas para o público homossexual

Um padre da província de Reggio Calabria, no sul da Itália, foi condenado a quatro anos de prisão nesta segunda-feira por prostituição de menor, posse de material de pornografia infantil e aliciamento de um menor. Dom Antonello Tropea, de 44 anos, havia sido preso em dezembro do ano passado pelos policiais da região.

A decisão do tribunal de Reggio Calabria ocorreu em segunda instância e os advogados do religioso, Andrea e Giuseppe Alvaro, informaram que irão esperar as motivações da condenação para recorrer da sentença.

As investigações acerca do padre iniciaram em março de 2015, depois de uma patrulha surpreender o homem com um menor de idade, em seu carro, em um lugar afastado do centro da cidade. O jovem contou à polícia que havia conhecido Tropea na internet, em uma sala de bate-papo para homossexuais, e que teria recebido 20 euros para ter uma relação sexual com o sacerdote no veículo. Além disso, o menino – que não teve a idade revelada – contou que Tropea se identificou como um pesquisador científico e não como um religioso.

Leia também:

Cardeal australiano admite que Igreja acobertou casos de pedofilia no país

O que aconteceu com Bernard Law, o padre vilão do filme ‘Spotlight’?

Bispos não são obrigados a relatar abuso infantil, diz Vaticano

De acordo com o jornal italiano La Repubblica, o sacerdote usava o aplicativo Grindr, uma rede social conhecida na comunidade homossexual, para conhecer jovens. Dom Antonello se apresentava com o nome de Nicola, o mesmo do patrono de sua paróquia, San Nicola di Mira.

(Com Ansa)