Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Opositor venezuelano encerra greve de fome iniciada há um mês

Carta com o anúncio de Leopoldo López foi lida por sua esposa, Lilian Tintori, em um hotel de Caracas

O opositor venezuelano Leopoldo López, detido há mais de um ano na prisão militar de Ramo Verde, encerrou nesta terça-feira a greve de fome iniciada há 30 dias. O anúncio foi feito por meio de uma carta, lida por sua mulher, um dia após as autoridades eleitorais definirem a data das próximas eleições legislativas, uma das exigências do opositor. López é um dos muitos presos políticos mantidos pelo governo de Nicolás Maduro.

Leia mais:

Organizada pelo PT, nova comitiva de senadores viajará para a Venezuela

Governo da Venezuela debocha de ataque a senadores brasileiros

Manifestantes atacam comitiva de senadores brasileiros em Caracas

“A vocês, irmãos e irmãs, peço com o coração na mão que assumamos com humildade as conquistas obtidas neste protesto e que juntos, todos, suspendamos a greve de fome”, escreveu de próprio punho, em mensagem lida por sua esposa, Lilian Tintori, em um hotel de Caracas. “Vamos encerrar a greve, mas a luta continua.” O pronunciamento foi dirigido aos 104 grevistas que também estão na mira de Maduro e acompanhavam López em seu protesto.

Temendo pela saúde do opositor, manifestantes marcharam no sábado em apoio às suas reivindicações e pelo fim da greve de fome. O protesto foi liderado pelas mulheres de López e do também opositor preso Daniel Ceballos – Tintori e Patricia Gutiérrez -, além de deputados, estudantes e vereadores, em sua maioria próximos ao partido Vontade Popular (VP). Também esteve presente Mitzy Capriles, esposa do prefeito de Caracas, Antonio Ledezma, que está em prisão domiciliar.

Desde 24 de maio, Leopoldo López estava em greve de fome contra as prisões políticas e pelo agendamento das eleições legislativas, com o compromisso de que sejam monitoradas por órgãos internacionais.

(Da redação, com agência Efe)